Divulgação
Divulgação

Coligação de Aécio diz que sinalização da Moody's mostra 'infeliz deterioração'

Em nota, tucanos afirmam que Brasil precisa de um "governo comprometido com a adoção de uma política econômica transparente, com solidez fiscal e decisivo combate à inflação"

Elizabeth Lopes, O Estado de S. Paulo

09 de setembro de 2014 | 14h57


A coligação do candidato do PSDB à Presidência da República, Aécio Neves, classificou a mudança da perspectiva de rating do Brasil pela agência de risco Moody's (clique aqui para ler) como consequência da política econômica equivocada da presidente e candidata à reeleição pelo PT, Dilma Rousseff. 

Em nota distribuída na tarde desta terça-feira, 9, a coligação do presidenciável tucano diz que o rebaixamento da perspectiva confirma a "infeliz deterioração" do quadro econômico brasileiro. As críticas à gestão petista na economia são um dos principais pontos da campanha do presidenciável tucano. 

A coligação afirma na nota que, para reverter o quadro, o Brasil precisa de um "governo comprometido com a adoção de uma política econômica transparente, com solidez fiscal e decisivo combate à inflação". 

Sinalização. Nesta terça, a agência de classificação de risco Moody's revisou a perspectiva do rating Baa2 do Brasil de "estável" para "negativa". De acordo com a agência, a mudança se aplica a todas as classes de ratings (nota que avalia o risco de investir nos títulos da dívida) do governo brasileiro. Isso significa que, em uma próxima análise, a classificação do Brasil pode ser rebaixada. 

Tudo o que sabemos sobre:
EleiçõesAécio Neves

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.