Cobertura do 'Estado' terá apoio da Direito GV

Durante a cobertura do processo do mensalão, os leitores do Estado e de suas várias plataformas digitais terão a seu dispor um serviço inédito: a análise, a cada passo, todos os dias, do que ocorre na sessão do Supremo Tribunal Federal, feita por especialistas da Escola de Direito de São Paulo - a Direito GV.

O Estado de S.Paulo

29 de julho de 2012 | 03h09

Do primeiro discurso, a ser feito no próximo dia 2, pelo ministro Joaquim Barbosa, à ultima sentença do tribunal - que deve ocorrer nos primeiros dias de setembro -, esses consultores, de uma das mais prestigiadas faculdades do mundo jurídico do País, vão traduzir o jargão jurídico, avaliar as estratégias dos advogados e comentar os altos e baixos do julgamento. Disporão, para tanto, de uma sala especial dentro da própria escola, onde trabalharão lado a lado com profissionais do Grupo Estado.

Trata-se de "um modelo inovador", como definiu o diretor da Direito GV, Oscar Vilhena, no trabalho conjunto de imprensa e academia.

No dia a dia, os professores farão comentários no vídeo, produzirão textos próprios, darão entrevistas - e esses conteúdos circularão pela mídia impressa (Estado e Jornal da Tarde), pelo portal (estadão.com.br) e pelos vários aplicativos, além da Agência Estado e a rádio EstadãoESPN. Um blog ao vivo e flashes tomados diretamente dessa sala de situação na FGV completarão o leque de serviços que FGV e Grupo Estado oferecerão a leitores, ouvintes, espectadores e internautas.

Com essa parceria, segundo a editora-chefe do Estado, Cida Damasco, o jornal "reforça seu papel de não apenas relatar um evento com a dimensão do julgamento dos réus do mensalão, mas também de esmiuçar o significado dos principais pontos de cada sessão". Para a editora-chefe de Conteúdos Digitais, Claudia Belfort, a parceria permitirá "uma tradução em tempo real" que permitirá "levar o julgamento do mensalão a um público mais amplo".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.