CNJ pune magistrado suspeito de corrupção

O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) decidiu aposentar compulsoriamente o desembargador federal Edgard Antônio Lippmann Júnior, acusado de envolvimento com um esquema de venda de decisões judiciais. De acordo com o processo julgado ontem, o desembargador teria autorizado a reabertura de um bingo em Curitiba (PR). Em troca, teria recebido depósitos semanais de R$ 1 mil a R$ 6 mil. Os integrantes do CNJ resolveram por unanimidade aplicar a maior punição administrativa, que é a aposentadoria compulsória com vencimentos proporcionais ao tempo de serviço. / MARIÂNGELA GALLUCCI

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.