Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

Bolsonaro 'representa um risco grave à população', diz Ciro

Candidato do PDT ao Planalto também não acredita que Bolsonaro possa vencer no primeiro turno

Mateus Fagundes, O Estado de S.Paulo

10 Setembro 2018 | 12h13

MAUÁ (SP) - O candidato do PDT à Presidência, Ciro Gomes, criticou na manhã desta segunda-feira, 10, o concorrente do PSL, Jair Bolsonaro, durante agenda pública em Mauá, na região metropolitana de São Paulo.

Ciro, na sexta-feira, evitou ataques ao candidato. Outros candidatos à Presidência fizeram uma trégua a Bolsonaro, que era alvo de ataques nas agendas públicas e em programas de TV. Na quinta-feira, Bolsonaro foi vítima de uma facada em Juiz de Fora (MG).

Classificando o ataque a Bolsonaro como inadmissível, Ciro considerou que os posicionamentos do adversário são estimulantes à violência. "Ele representa um risco grave à população", afirmou. "Não concordo com nada que ele pensa, nada do que ele fala. Depois do ataque, suspendi as atividades da minha campanha. Mas agora é bola para frente."

Ontem à noite, após o debate Estadão/TV Gazeta/Jovem Pan, Ciro já havia criticado Bolsonaro. Segundo ele, o candidato do PSL foi ferido na barriga, mas não mudou nada na cabeça.

Ciro também buscou minimizar o efeito eleitoral do crime contra Bolsonaro. O pedetista afirmou que a população se uniu a ele em solidariedade humana e que isso pode representar "uma pequena fração de aumento na intenção de votos".

Sobre declarações de assessores de Bolsonaro, que falam da possibilidade de o ex-capitão vencer no primeiro turno, Ciro Gomes disse que, na avaliação dele, "não há a menor chance": "Em uma, duas semanas ele estará bem, e o debate volta ao seu leito normal", disse. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.