Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Cinco mil militares fazem exercícios na Amazônia

Na manhã quente e úmida de Paricatuba, no Amazonas, dezenas de fuzileiros, com apoio aéreo de aviões de ataque leve A-29 Super Tucano e helicópteros armados, tomaram em menos de 10 minutos um Pelotão Especial de Fronteira. Camuflada, a tropa chegou pelo rio, a bordo de lanchas rápidas e pouco antes das aeronaves. A guarnição "inimiga" bateu em retirada, abrigada pela selva.

ROBERTO GODOY, O Estado de S.Paulo

27 de setembro de 2012 | 03h06

Na Operação Amazônia 2012, o dia ontem foi dedicado a ações combinadas. Os 5 mil militares envolvidos no exercício, que termina amanhã, devem simular situações de defesa de área, interdição do espaço aéreo e deslocamento rápido, para missões múltiplas. Nas vilas e cidades, estão sendo oferecidos atendimento médico e assistência social.

Embora seja um treinamento, o primeiro balanço do ensaio revelou resultados objetivos. Na rede fluvial da região foram apresadas, pela Marinha, sete embarcações irregulares - todas transportavam passageiros em excesso e sem recursos de segurança.Em ao menos três delas, havia armas. Nas outras quatro, a maior parte das pessoas encontradas a bordo estava sendo levada para participar de comícios eleitorais.

Pente grosso. A Operação Amazônia 2012 abordou 159 barcos e identificou estradas não mapeadas nos Estados do Pará, Amazonas, Acre e Rondônia. Segundo o ministro da Defesa, Celso Amorim, que esteve ontem na região, o programa "destina-se a preparar a tropa para a defesa, enquanto aplica um pente grosso nos locais por onde passa - é diferente da série Ágata, que faz um patrulhamento armado e real da linha de fronteira: é o pente fino".

Além dos Super Tucanos, caças supersônicos F-5M, da Base Aérea de Manaus, participam dos jogos de guerra. Em 2013, a Amazônia vai receber as primeiras estações meteorológicas de um lote de 11 novos equipamentos. Digitais, os conjuntos coletam dados e os enviam pela internet para determinados satélites.

Até o fim da Amazônia 2012, a expectativa é a de que sejam atendidos cerca de 1.800 habitantes de comunidades ribeirinhas. Ginecologistas, pediatras, oftalmologistas, cardiologistas, clínicos e também veterinários estão atendendo em postos avançados, como o porto de Iranduba, nos arredores de Manaus. Ali, está atracad0 um navio hospital. E há um centro assistencial de campanha para expedição de carteiras de identidade e registro do alistament0 militar. Um dos serviços mais procurados é o jurídico, revelou um oficial do Comando Militar da Amazônia. "A preocupação é focada na regularização das terras de produção, da situação dos casais que vivem apenas sob regime de união estável e da certidão de nascimento", disse. Outro campeão nas filas é o salão de beleza do Senac - lá é possivel cortar o cabelo, sim. Mas não apenas: maquiagem e cuidados com a pele também estão disponíveis. (COLABOROU WILLIAM GASPAR, DE MANAUS, ESPECIAL PARA O ESTADO)

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.