Cinco frases de Dilma e Aécio durante a volta do horário eleitoral

Confira as estratégias dos candidatos à Presidência da República com a retomada do horário eleitoral gratuito na TV e no rádio

O Estado de S. Paulo

13 de outubro de 2014 | 07h05

 São Paulo - Na retomada do horário eleitoral gratuito no segundo turno, as campanhas de Dilma Rousseff (PT) e de Aécio Neves (PSDB) apostam na repetição para demarcar suas estratégias. Nos oito programas exibidos na televisão até esse domingo, 12, "mudança" e "corrupção" estão entre as frases e expressões mais usadas, tanto pela petista quanto pelo tucano.

Alguns dos termos já faziam parte da campanha do primeiro turno, mas novos foram incorporados na segunda etapa da disputa ao Palácio do Planalto. Agora, Dilma e Aécio têm tempos iguais de exposição, com dez minutos no rádio e na TV.

Dilma Rousseff (PT)

1. "Governo novo, com ideias novas"

O slogan foi apresentado no último programa antes do primeiro turno da eleição e abriu a reestreia na segunda etapa. A expressão, repetida tanto por Dilma, quanto por locutores e em jingles, embala o mote da campanha petista que tenta associar o eventual segundo mandato às ideias de futuro e de continuidade. Em média aparece três vezes no decorrer dos dez minutos.

2. "Luta contra o passado"

A expressão reforça a estratégia já iniciada no primeiro turno de comparar ações dos governos petistas e tucanos. Fazem coro com ela frases como "o PSDB quebrou o País três vezes" e outras que seguem a linha do discurso do medo, como "não deixar o Brasil voltar atrás". Recurso apareceu em todos os programas de TV e também nos de rádio.

3. "Combate sem tréguas à corrupção"

Após as denúncias recentes de um suposto esquema de desvios envolvendo a Petrobrás, Dilma dedicou mais tempo em nas propagandas à temática da corrupção. Além de falar em intolerância "contra o malfeito", a petista costuma repetir que tem "tolerância zero com a corrupção" e que "não varre nada para debaixo do tapete", num ataque indireto ao governo FHC. As expressões estiveram em três dos quatro programas transmitidos à noite, horário de maior audiência.

4. "(O governo do PSDB) esqueceu os mais pobres"

A ênfase nos programas sociais já era destaque nas propagandas, mas se intensificou depois de o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso ter dito que o eleitor petista vota no partido por ser menos informado. A declaração serviu para a campanha tentar ligar o partido de Aécio à elite e ao descaso com o social. A referência à declaração de FHC foi mencionada diretamente duas vezes e com mais ênfase no rádio.

5. "Novo ciclo de desenvolvimento"

Como contraponto aos ataques da oposição sobre os índices de crescimento econômico, a frase vem associada às promessas de Dilma sobre economia.

Aécio Neves (PSDB)

1. "A mudança já começou"

É o novo mote da campanha tucana no segundo turno e o campeão de repetições. Os termos "mudança" e "mudar" foram repetidos 20 vezes no primeiro programa da televisão, na última quinta-feira, 9. Na sexta. 10, e no domingo, foram dez e sete vezes, respectivamente. A ideia de mudança já era usada no primeiro turno, mas ganhou destaque agora também como tentativa de atrair indecisos e o eleitor da candidata derrotada Marina Silva (PSB).

2. "As denúncias de corrupção não cessam"

Na linha de ataques à adversária, a campanha tucana vem explorando os depoimentos do ex-diretor da Petrobrás e do doleiro Alberto Youssef sobre supostos esquemas de corrupção envolvendo a Petrobrás e integrantes de partidos da base aliada. Apenas no domingo menções à corrupção ficaram de fora do programa, em geral acompanhadas de expressões como "tirar a Petrobrás das mãos desse grupo político".

3. "Um governo que funcione"

Está entre as mais usadas pelo tucano quando apresenta ao eleitor suas promessas de governo. A frase geralmente vem ligada a ataques a Dilma. "Quando o governo é o problema, a vida de todo mundo também vira problema."

4. "Ações para o Brasil voltar a crescer"

A campanha manteve nos primeiros programas o discurso relacionado à política econômica, principal mote abordado no primeiro turno. "Crescer" e "crescimento" apareceram ao menos três vezes por programa.

5. "Aécio Neves é neto de Tancredo Neves"

O parentesco com o avô é lembrado com frequência nos programas de TV e de rádio durante a exibição da biografia de Aécio. No rádio, foi usada em todos os programas e na televisão só ficou de fora nesse domingo, quando o programa dedicou maior parte ao registro do apoio de Marina à candidatura tucana. O vínculo familiar foi bastante explorado para apresentar o tucano ao eleitor, já que o candidato é mais conhecido nas região Sudeste.

Tudo o que sabemos sobre:
eleições

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.