Cifras bilionárias do projeto atiçam empreiteiras

O projeto do VLT (Veículo Leve sobre Trilhos) para as cidades-sede da Copa de 2014 atiça as empreiteiras, tradicionais doadoras de campanha eleitorais. Os valores superam bilhões de reais, como no caso de Cuiabá, que estima um gasto de R$ 1,2 bilhão. Em Fortaleza, o VLT prevê despesa de pelo menos R$ 265 milhões em um só trecho.

O Estado de S.Paulo

24 de novembro de 2011 | 03h07

Em Brasília, somente uma linha do VLT pode ficar pronta até o mundial, ao custo de R$ 276 milhões, segundo a Matriz de Responsabilidades da Copa. Ao todo, a ideia era construir cinco linhas por pelo menos R$ 700 milhões no Distrito Federal.

A licitação para contratação das empreiteiras e os impactos urbanísticos e ambientais vêm encontrando obstáculos no Ministério Público e também na Justiça, o que pode atrasar a conclusão do primeiro trecho para 2014.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.