Cidades 2020: 'Eleições vão reinventar democracia com a lógica virtual', diz Humberto Dantas

Pesquisador afirma que eleições ainda não entraram no debate público, cita iniciativa de empresas que fazem trabalhos de conscientização politica e fala do peso das eleições de 2020 na disputa presidencial futura

Elizabeth Lopes e Paulo Beraldo, O Estado de S.Paulo

22 de julho de 2020 | 12h12

As eleições municipais deste ano, adiadas para novembro por causa da pandemia do novo coronavírus, estão calcadas em um cenário de muitas incertezas, a começar pela covid-19 e seus efeitos nocivos, não apenas na saúde da população, mas também na economia.

Em entrevista remota ao Cidades 2020, uma iniciativa do Broadcast Político, em parceria com o Estadao.com, o cientista político, professor e especialista em politicas públicas Humberto Dantas fala deste pleito, que parece ainda cercado de "segredos" porque não chegou ao conhecimento da maioria do eleitorado.

Dantas fala também da iniciativa de empresas, que tentam suprir essa lacuna com ações de conscientização política suprapartidária e tece críticas ao comportamento do presidente do Tribunal Superior Eleitoral, Luís Roberto Barroso, que no seu entender vem tomando ações muito personalistas. "Essas eleições, que serão feitas em ambiente virtual, me preocupam pela complexidade, mas também poderão ser uma forma de reinvenção da democracia pela lógica virtual", destaca, na entrevista.

Na conversa, também destacou o papel da disputa na campanha presidencial de 2022, tratou da aceleração de '100 anos em cinco meses' que a pandemia proporcionou em aspectos da política e do papel do ambiente digital nas campanhas. 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.