Gilberto Amendola
Gilberto Amendola

Cid Gomes diz que Ciro continuará sendo 'do jeito que ele é'

Durante o Congresso Nacional do partido em Brasília, irmão e coordenador de campanha do pedetista diz que a postura de Ciro é 'franca'

Renan Truffi e Gilberto Amendola, O Estado de S.Paulo

20 Julho 2018 | 12h35

BRASÍLIA - Coordenador da campanha de Ciro Gomes, o ex-governador Cid Gomes (PDT) disse nesta sexta-feira, 20, que seu irmão irá continuar sendo do jeito que ele é, em referências às declarações controversas que teriam sido uma das razões para o recuo do centrão nas negociações com o PDT.

"Eu sinceramente acho que o povo brasileiro não tolera mais a falsidade e a promessa fácil. O que o Ciro tem feito é ter tido sempre uma postura franca. E isso desagrada alguns. Isso muitas vezes cria problemas e traz antagonismos, mas ele vai continuar do jeito que ele é, franco, sincero, amante, apaixonado e com força para defender o povo brasileiro", afirmou Cid ao chegar na sede do partido, onde se realiza neste momento a convenção da sigla para lançar oficialmente a candidatura de Ciro Gomes.

O ex-governador do Ceará Cid Gomes complementou citando indiretamente o caso envolvendo o vereador Fernando Holiday (DEM), um dos coordenadores do Movimento Brasil Livre (MBL). "Um grande problema da causa negra no Brasil são negros a serviço da Casa Grande. Quando acontece isso no mundo da política, o Ciro denuncia", disse. O episódio é tido como um dos motivos do desgaste e receio dos partidos do centrão com Ciro Gomes.

Cid Gomes também minimizou a decisão do bloco formado por DEM, PP, PR, PRB e Solidariedade de apoiar a pré-candidatura de Geraldo Alckmin, do PSDB. "Nossa prioridade sempre foram partidos do arco progressista, com militância popular. E o PSB por não ter candidato à Presidência sempre esteve como nosso principal objetivo. Qualquer outro partido, conversando, entendendo, e se filiando aos princípios que o Ciro tem colocado com muita transparência, são muito bem-vindos", afirmou.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.