Chalita deve contar só com apoio de 'nanicos' na campanha em SP

Peemedebistas dizem possuir bom tempo de televisão, mas ainda não acharam um vice para a chapa do deputado

FELIPE FRAZÃO, O Estado de S.Paulo

26 de maio de 2012 | 03h04

Há um mês da convenção que definirá as parcerias do partido nas eleições municipais, o PMDB admite entrar praticamente em voo solo na campanha do pré-candidato à Prefeitura de São Paulo, deputado Gabriel Chalita. Até agora, ele tem apoio formal somente dos nanicos PSC, PSL e PTC.

A legenda ainda não conseguiu atrair nenhum aliado com tempo de TV significativo e segue com o posto de vice em aberto. Mas adota o discurso de que já possui tempo de televisão competitivo: são cerca de 4 minutos e 30 segundos por bloco de propaganda eleitoral.

Chalita já admitiu que depende de exposição massiva no horário eleitoral, a partir de 21 de agosto, para deslanchar na campanha. Quanto ao vice, diz que pretende definir somente depois de fechar acordo com todos os partidos da coligação.

"Está uma guerra. Um puxa pra cá, outro pra lá. Quem puxar mais forte leva. Mas quanto mais partidos na coligação melhor. Estamos lutando", disse um membro da executiva paulistana.

Nas últimas semanas, a legenda perdeu o apoio do DEM para o PSDB e do PTB, do deputado estadual Campos Machado, que firmou candidatura própria em São Paulo. Até os nanicos PHS e PRP optaram por apoiar Celso Russomanno (PRB), em detrimento de Chalita.

Nesse cenário, o vice-presidente da República, Michel Temer (PMDB), empenhou-se pessoalmente para tentar o apoio do PP, do deputado federal Paulo Maluf. Os peemedebistas também mantêm conversas com os líderes do PR e do PC do B - que estão na órbita petista.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.