Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

Centrão adia anúncio de apoio a presidenciável e aguarda adesão de nanicos

Comunicado deve ser feito na próxima semana e ainda há possibilidade de adesão de partidos menores ao bloco, como PHS e Avante (antigo PTdoB)

Felipe Frazão, O Estado de S.Paulo

19 de julho de 2018 | 12h28

Ainda dividido entre os pré-candidatos a presidente Ciro Gomes (PDT) e Geraldo Alckmin (PSDB), o bloco de partidos do centrão formado por DEM, PP, PR, PRB e Solidariedade decidiu adiar para a próxima semana o anúncio de que candidato à Presidência da República apoiará nas eleições 2018. Após nova reunião nesta quinta-feira, 19, na casa do presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, ainda há possibilidade de adesão de partidos menores ao bloco, como PHS e Avante (antigo PTdoB) - parlamentares dos dois partidos foram ao encontro.

"É possível (a adesão)", disse o presidente do DEM, ACM Neto, também prefeito de Salvador. Ele ficou responsável por redigir uma nota, a ser divulgada ainda nesta quinta-feira, com o posicionamento de unidade do centrão.

ACM Neto, porém, descartou que o apoio do grupo seja decidido nesta semana. "Nossa decisão será anunciada só na semana que vem", disse.

Em jantar na noite de quarta-feira, 18, o grupo reafirmou a união no bloco e indicou o empresário Josué Gomes (PR), da Coteminas, como pré-candidato a vice-presidente e representante dos partidos.

O presidente do PRB, ex-ministro Marcos Pereira (Indústria), disse que não houve consenso no grupo, nem avanço na articulação. Ele também descartou um acordo nesta semana em prol do tucano ou do pedetista: "Sem consenso, vai longe ainda."

O deputado Carlos Sampaio (PSDB-SP), que foi à residência oficial da Câmara e conversou com Maia, relatou que o blocão pediu mais uma semana e deu previsão de se posicionar até a próxima quinta-feira. Também estiveram no café da manhã os deputados Marcelo Aro (PHS-MG), Luís Tibé (Avante-MG), Bebeto (PSB-BA), Aguinaldo Ribeiro (PP-PB), Paulinho da Força (SD-SP), o senador Ciro Nogueira (PP-PI) e o ex-deputado Valdemar Costa Neto (PR).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.