Ceará paga R$ 650 mil para Ivete Sangalo inaugurar hospital

Procurador-geral de Contas questiona uso de dinheiro público na festa em Sobral, base eleitoral do governador Cid Gomes

LAURIBERTO BRAGA / FORTALEZA, ESPECIAL PARA O ESTADO , O Estado de S.Paulo

24 de janeiro de 2013 | 02h04

O Estado do Ceará pagou R$ 650 mil de cachê à cantora Ivete Sangalo para que ela fizesse um show na inauguração de um hospital em Sobral, base eleitoral do governador Cid Gomes (PSB), na sexta-feira passada.

O evento é alvo do procurador-geral de Contas do Estado, Gleydson Alexandre, que questiona o valor pago à artista baiana. Segundo a Polícia Militar, cerca de 50 mil pessoas acompanharam a apresentação em frente ao Hospital Regional Norte. O fato foi noticiado pelo jornal Folha de S.Paulo.

Gomes já pagou R$ 3 milhões pelo show do tenor espanhol Plácido Domingo para inaugurar o Centro de Eventos do Ceará, em 2012, e desembolsou outro meio milhão para o cantor Luan Santana e a mesma quantia para a dupla Zezé di Camargo e Luciano no réveillon de 2013 promovido pelo governo em Fortaleza.

O governador afirma que Alexandre é "um jovem procurador que quer aparecer". No dia da apresentação de Ivete Sangalo, afirmou que manterá o show no Estado "doa a quem doer". "Ricos é que questionam essas coisas, mas o povo precisa de saúde e educação e também de diversão", afirmou Gomes na ocasião.

Ontem, Alexandre divulgou nota na qual diz que as declarações do governador "mostram-se desrespeitosas ao Ministério Público de Contas e demonstram que o chefe do Executivo Estadual não tem o menor respeito pelas instituições democráticas".

O Tribunal de Contas do Estado arquivou o pedido do procurador para barrar o pagamento do cachê até que o Estado comprovasse que o valor de R$ 650 mil se justificava. Gomes disse que vai pagar os R$ 650 mil porque é este o valor cobrado pela cantora.

O procurador afirma ter pesquisado preços dos shows de Ivete Sangalo realizados no interior do Nordeste, em São Paulo e no Rio de Janeiro. Segundo ele, há casos em que o valor cobrado foi menor do que os R$ 650 mil pagos pelos cofres cearenses.

Alexandre afirma ainda, na nota divulgada ontem ,que vem solicitando informações do show desde o ano passado e que o governo deixou de esclarecer suas dúvidas sobre o evento, O procurador alega também que "ficou configurado o descumprimento da Lei de Licitações, bem como de jurisprudência pacífica do Tribunal de Contas da União" a respeito de casos similares.

Procurada, a assessoria de imprensa de Ivete Sangalo disse que não se manifestará. O cachê deve ser pago até o final do mês.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.