Ceagesp abriga apadrinhados de petistas

A Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo (Ceagesp) é reduto de apadrinhados dos petistas João Paulo Cunha (SP), deputado condenado no esquema do mensalão, e do ministro da Secretaria-Geral da Presidência da República, Gilberto Carvalho. Até o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva tem seu sobrinho, filho do irmão Vavá, trabalhando na empresa. Edison Ignácio da Silva ocupa cargo de confiança de gerente, com salário de R$ 15 mil.

Andreza Matais e Fabio Fabrini / BRASÍLIA, O Estado de S.Paulo

17 Dezembro 2013 | 02h05

O presidente, Mário Maurici, é próximo a Carvalho, com quem trabalhou na Prefeitura de Santo André na gestão de Celso Daniel, assassinado em 2002. Companheira do prefeito na época do assassinato, Ivone Santana também assumiu cargo comissionado na Ceagesp. O nome dela ainda consta da lista de servidores, mas a empresa diz que ela deixou o cargo em dezembro de 2012.

A irmã do deputado João Paulo Cunha, Ana Lucia da Cunha Pucharelli, também tem cargo de confiança na empresa. A Ceagesp já abrigou o filho de Marco Polo Del Nero, presidente da Federação Paulista de Futebol e membro do Comitê Executivo da Fifa, Marco Polo Del Nero Filho. Ele deixou a empresa em abril. Tinha salário de R$ 7 mil.

A relação de funcionários que consta no site da Ceagesp tem 15 nomes de pessoas filiadas ou ligadas ao PT. O ex-secretário de Comunicação Paulo Frateschi indicou o irmão, Rodrigo Frateschi. Também há dois nomes ligados ao PMDB.

O Ministério Público do Estado de São Paulo abriu investigação sobre casos de apadrinhamento na Ceagesp. O Estado procurou o MP para saber o resultado da investigação, mas não houve resposta.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.