Caso Pinheirinho acelera ocupações em série no Estado

A reintegração de posse da ocupação do bairro de Pinheirinho, em São José dos Campos, em janeiro, antecipou a agenda de ocupações de moradias no Estado promovida por movimentos sociais. O episódio aumentou a tensão política relacionada à falta de habitação. A partir de março, o Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto (MTST) deve começar a fazer ocupações, de acordo com Guilherme Boulos, um dos coordenadores do grupo. "As lutas já iriam ocorrer, Pinheirinho só antecipou isso. As ações acontecerão em pelo menos quatro Estados", afirmou. De acordo com Boulos, outras questões devem pautar os grupos, como as famílias desalojadas por conta da Copa. / ARTUR RODRIGUES

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.