Cartas são uma 'afronta' ao Estado, diz procurador

Coordenador do grupo de combate ao crime organizado, o procurador de Justiça Sammy Barbosa considera uma "afronta" as ameaças e a falha de segurança, sobretudo diante da alta periculosidade do preso. "Ele é um caso único no Brasil. Colocou um Estado inteiro de joelhos", resume. Barbosa não esconde a preocupação com a possível migração da pena de Hildebrando para o regime semiaberto, prevista para 2014. Mas essa previsão pode ser adiada com o julgamento do assassinato de José Hugo, ligado a Baiano, e suspeito da morte do irmão de Hildebrando. / A.J.V.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.