Reprodução
Reprodução

Candidatura em 2018 'depende do que estiver acontecendo', diz Lula

Ex-presidente afirma que estará 'no jogo ou como titular, ou como reserva, ou como torcida'

Ana Fernandes e Mário Braga, O Estado de S. Paulo

20 de janeiro de 2016 | 12h45

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou nesta quarta-feira, 20, que a decisão de ser ou não novamente candidato à Presidência vai "depender do que estiver acontecendo em 2018". "Mas pode ficar certo que ficarei no jogo. No jogo, vou estar de qualquer jeito, ou como titular, ou como reserva, ou como torcida", disse, em entrevista a blogueiros aliados na sede do Instituto Lula.

Como em outras ocasiões, Lula disse que batalhará pela manutenção do "projeto" do governo petista. Segundo ele, a "cidadania" construída nos últimos 13 anos sofreu "arranhões" com a crise, mas vai se recuperar com a vitória do PT. "Só tem uma chance de essa cidadania ser recuperada e é com a manutenção desse projeto, fortalecimento da presidenta Dilma e acerto do governo daqui pra frente."

Questionado sobre os movimentos sociais, com postura hoje mais crítica ao governo, Lula disse que é melhor ter movimentos reivindicando do que com postura passiva. Ele disse ser grato aos movimentos, onde nasceu politicamente.

Lula chamou a atenção para a necessidade de a presidente Dilma Rousseff se voltar para os movimentos sociais e para as bases de apoio do governo. "A Dilma tem que saber que temos lado, embora se governe para todos", disse, em referência às marchas realizadas em dezembro contra o pedido de impeachment da petista. Para ele, as decisões do governo não devem ser tomadas de maneira centralizada e sem discussões com a sociedade. "O governo precisa fazer as coisas mais combinadas com o nosso povo".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.