Candidatos iniciam campanhas em todo o País

Veja como será a largada das eleições 2020 em capitais e em cidades do interior de São Paulo

Redação, O Estado de S. Paulo

26 de setembro de 2020 | 16h56

A campanha eleitoral começa oficialmente neste domingo, 27, em todo o País. Em meio à pandemia do novo coronavírus, candidatos a prefeito e vereador vão intensificar os eventos virtuais.

A propaganda eleitoral gratuita no rádio e na TV começa no dia 9. Veja como será a largada das eleições 2020 em capitais e em cidades do interior de São Paulo. 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Em Salvador, candidatos pedem a ‘bênção’ do Bonfim na largada da campanha

Candidatos do DEM e PT assistem à mesma missa juntamente com o prefeito e o governador, também adversários políticos

Regina Bochicchio, especial para o ‘Estadão’, O Estado de S. Paulo

26 de setembro de 2020 | 15h40

Benção em igrejas, caminhada, carreata, live e até protestos marcam o primeiro dia de campanha oficial em Salvador, apesar das orientações sanitárias para evitar atos de rua em razão da covid-19. Logo pela manhã, três candidatos devem ‘se esbarrar’ nas escadarias da Basílica do Bonfim.

Os principais adversários políticos nas eleições em Salvador, Bruno Reis (DEM) e Denice Santiago (PT), ao lado do prefeito ACM Neto (DEM) e do governador Rui Costa (PT), seus respectivos cabos eleitorais, assistem ao culto das 9h para pedir a benção ao Senhor do Bonfim. Já a candidata Olívia Santana (PCdoB) pegará a missa das 7h, que finaliza na hora em que seus adversários devem estar chegando ao local.

Na Bahia, pedir a benção ao Senhor do Bonfim está associado à proteção. Para os candidatos, funciona também como primeiro contato com os eleitores que, este ano, deveria ocorrer à distância em razão da covid-19.

As coordenações de campanha informaram que todos os protocolos de segurança serão cumpridos, como o uso de máscara, álcool em gel e distanciamento social. Os candidatos também estão evitando chamar militantes e simpatizantes. Denice, por exemplo, vai transmitir sua visita ao Bonfim nas redes sociais.

Nos 13 dias que antecedem o início do horário eleitoral gratuito no rádio e TV, que começa dia 09, candidatos devem apostar nas redes sociais e atos de rua que evitem aglomerações, informam as assessorias de imprensa.

Pipoca - O candidato Bacelar (Pode) decidiu pedir proteção à uma entidade baiana, Santa Dulce dos Pobres, na paróquia que leva seu nome, em um bairro popular. Para “abrir os caminhos” durante a campanha, ao final da missa pretende tomar ‘banho de pipoca’ ainda na porta da igreja.

Já o Pastor Sargento Isidório (Avante) e sua vice, Eleusa Coronel (PSD) decidiram fazer uma live às 9h direto do Subúrbio Ferroviário de Salvador, área popular da cidade. Eles não divulgaram o local exato para evitar aglomeração.

Na mesma região do Subúrbio, estará o candidato Celsinho Cotrim (PROS), que fará caminhada com o ex-campeão mundial de boxe, seu vice, Acelino Popó. Segundo Cotrim, a caminhada será limitada a 15 pessoas, com máscara, distanciamento, álcool em gel “e só com acenos de mão, não com abraço nem aperto de mão”.

O psolista Hilton Coelho terá como ato inaugural de campanha um protesto contra a construção de uma estação elevada de esgoto na região da Lagoa do Abaeté, obra do governo do estado. Após ato de repúdio à obra, ele caminha até a Sereia de Itapuã, na orla marítima.   

O candidato da direita conservadora, Cezar Leite (PRTB) optou por uma carreata, pela manhã, também na orla, do bairro da Boca do Rio rumo ao Farol da Barra, cartão postal de Salvador.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Em Curitiba, partidos adotam estratégias diferenciadas e reforço no uso de meios digitais

Campanha começa com candidato pedalando, terá maratonista correndo 30 km diariamente e muita internet

Julio Cesar Lima, especial para o Estadão, O Estado de S. Paulo

26 de setembro de 2020 | 15h53

CURITIBA - A campanha eleitoral que se inicia neste domingo será diferente de outros momentos. Mesmo com Curitiba passando para bandeira amarela neste domingo, os partidos e candidatos optaram por estratégias diferenciadas, mas com o predomínio digital.

O Partido Novo terá o apoio da maratonista Siria Costa, 43 anos. Ela irá correr, a partir de segunda, 28, 30 quilômetros diariamente em apoio à candidatura de João Guilherme, que, segundo ela, a incentivou a correr em 2006. “Fui tomando gosto até competir em provas de ultramaratona, com mais de 42,1 quilômetros”, disse. Um dia antes, o partido organiza uma carreata pela cidade.

O candidato à reeleição, Rafael Greca (DEM), deve usar, segundo a assessoria, “todos veículos e plataformas existentes - permitidos pela legislação eleitoral e pelas regras sanitárias - para expor as conquistas de sua atual gestão e seus projetos futuros para Curitiba.

O PT irá formar comitês digitais em diferentes pontos da capital para que funcionem como multiplicadores das reuniões - com poucas pessoas - a serem realizadas pelo candidato Paulo Opuszka. Segundo a assessoria, “serão realizados também eventos mistos com parte presencial e virtual, além da TV aberta, rádios, apostando na capilaridade da militância e movimentos”, concluiu.

O candidato do MDB, João Arruda, disse que fará sua campanha “da copa” de casa. “Tenho pouco tempo de TV e serei o candidato, dos partidos maiores, que menos vai gastar. Vou fazer minha campanha da copa da minha casa, pela internet, espaço que usamos para receber os amigos, onde converso com minha mulher e filhos”, resumiu.

No domingo, Goura Nataraj (PDT) e sua candidata a vice, Ana Moro, também do PDT, farão um lançamento por meio de live (reunião virtual), às 19 horas. O candidato informa que também vai marcar o início da campanha pedalando, a partir das 6 horas, entre a nascente do Rio Belém em direção ao Rio Iguaçu, cruzando toda a cidade. “A campanha focada em mídia digital, com vídeos, lives e eventos virtuais”, informou a assessoria.

Já o PSTU, de Samara Garratini utilizará não apenas as redes sociais, mas “material impresso para divulgar as propostas em áreas e nos turnos das fábricas”, informou.

A candidata do Avante, Marisa Lobo, inicia a campanha com um culto na Igreja Batista e depois se reúne, segundo sua assessoria “com grupos de direita conservadora de Curitiba”, concluiu.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Com restrição a aglomerações, em Porto Alegre meio digital é o principal campo da campanha

Para cientista política, candidato que estiver mais conectado com as redes sociais poderá sair na dianteira

Lucas Rivas /Especial para o Estadão, O Estado de S. Paulo

26 de setembro de 2020 | 16h05

PORTO ALEGRE - Dada a largada para o início da campanha eleitoral neste domingo, 27, o campo digital será o grande balizador para apresentação das plataformas políticas dos candidatos à prefeitura de Porto Alegre. A realização de lives serão exploradas à exaustão. Assim, como já ocorreu nas convenções partidárias, a internet será o palco majoritário para divulgação das candidaturas, em função da pandemia.

Classificada de forma preliminar com a bandeira laranja, que representa risco médio de contágio do coronavírus, Porto Alegre seguirá adotando medidas para evitar a propagação da doença. Para a corrida eleitoral, não será diferente. Aglomerações seguem vetadas.

Em caso de ações individuais, protocolos sanitários devem ser respeitados como uso de máscara, álcool em gel e distanciamento social. Na segunda-feira, o governo gaúcho vai divulgar o mapa definitivo estabelecendo as restrições para vigorar durante a semana.

Para a cientista política e professora emérita da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Céli Pinto, o candidato que estiver mais conectado com as redes sociais poderá sair na dianteira. “Certamente será uma campanha virtual, mas elas são muito complicadas de fazer, pois a possibilidade de ganhar o menos comprometido com a cidade e o menos ético é grande. Controlar o discurso do outro é quase impossível. Uma coisa é conhecer o discurso de comícios, panfletos, debates e outra é dominar as redes”, afirma.

Com o engessamento dos comícios na cidade, a propaganda em rádio e televisão, que começará no dia 9 de outubro, também é considerada peça-chave pelos coordenadores de campanha para difusão de propostas e ideias. E os concorrentes já preparam materiais para veiculação.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Na largada, lives e carreatas em Belo Horizonte

Atos marcados para o primeiro dia de campanha apontam os rumos desta fase do processo eleitoral

Leonardo Augusto, especial para o ‘Estadão’, O Estado de S. Paulo

26 de setembro de 2020 | 16h18

BELO HORIZONTE - A estratégia de campanha dos candidatos à Prefeitura de Belo Horizonte vai estrear o novo modo de pedir votos no Brasil, via lives, por conta da pandemia do novo coronavírus, mas também não vai abandonar, pelo menos por completo, as tradicionais formas de contato com o eleitor, com a realização de caminhadas e carreatas. Há ainda a preocupação com as gravações para a propaganda gratuita de rádio e televisão. 

Os atos marcados para o primeiro dia de campanha, no domingo, 27, apontam para a direção que os candidatos deverão tomar. A deputada federal Áurea Carolina, que disputa a prefeitura pelo PSOL, e o ex-deputado federal Nilmário Miranda (PT), apostaram nas lives neste início de disputa. A parlamentar faz lançamento da campanha em live ao lado de seu vice, Leonardo Péricles (UP), à tarde. Pela manhã, já inicia a gravação de programa eleitoral para rádio e televisão.

Também ainda sem colocar o pé nas ruas para a campanha, ao menos por enquanto, Nilmário participa pela manhã de live com a comunidade de Serro, no interior do Estado, município tradicional na produção de queijo. À tarde, tem reunião com a coordenação da campanha.

Os candidatos do PSDB, Luísa Barreto, e do Novo, Paula Paiva, apostam na velha escola da política, no contato direto com o eleitor. A tucana marcou caminhada na região norte da capital, juntamente com candidatos à Câmara Municipal pelo partido. Já o escolhido pelo Novo para disputar a prefeitura reúne apoiadores em carreata na Região Oeste da cidade.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Com Ribeirão Preto na fase amarela, partidos vão fazer campanha nas ruas

No corpo a corpo, candidatos devem observar normas sanitárias, mas internet vai ser principal meio de divulgação para a maioria

Everton Sylvestre, especial para o ‘Estadão’, O Estado de S.Paulo

26 de setembro de 2020 | 13h00

RIBEIRÃO PRETO – Candidatos devem ir para as ruas e redes sociais já neste domingo, primeiro dia de campanha, para tentar conquistar eleitores ribeirão-pretanos. A cidade está na fase amarela do Plano São Paulo e, conforme decreto da prefeitura, a partir de segunda-feira, 28, ficam permitidos eventos com até 100 pessoas. Os partidos vão fazer campanha nas ruas, observando normas sanitárias. Até agora, nenhum informou ter comício marcado. Na internet, praticamente todos devem marcar presença.

Duarte Nogueira (PSDB), que concorre à reeleição, não fará comício. Ele marcou uma live para lançamento da campanha literalmente no primeiro minuto deste domingo. De manhã, coloca adesivos de campanha em carros por meio do sistema drive-thru. Emilson Roveri (Rede) lança a campanha em live. Mauro Inácio (PSOL) diz que “guerrilha virtual” contra fake news vai ser a tática para o primeiro dia.

Para Entender

Calendário Estadão

As datas, definições partidárias, candidaturas e a cobertura especial do jornal das campanhas pelo País e nos Estados Unidos

Na campanha, Cristiane Bezerra (MDB) deve apostar em internet, mas sem menosprezar as ruas e TV – a coligação estima ter 2’36” no horário político. Antônio Machado (PT) pretende fazer lives, reuniões virtuais e visitas a órgãos públicos para ouvir servidores. Suely Viela (PSB) diz que fará uso de todas as ferramentas para apresentar suas propostas.

No domingo, Vanderley Caixe (PCdoB) deve caminhar na região do Jardim Jandaia. “Onde começou a primeira campanha do partido na cidade, ainda no fim da ditadura”, diz. Rodrigo Junqueira (PSL) afirma que vai visitar praças e bairros com “necessidade de urbanização, asfalto, iluminação e saneamento básico”. Os demais não informaram agenda.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Em Jundiaí, candidatos se dividem entre rede social e corpo a corpo na abertura de campanha

Corpo a corpo e uso do meio virtual vão conviver na busca para cativar o eleitor

José Maria Tomazela, O Estado de S.Paulo

26 de setembro de 2020 | 13h00

SOROCABA – Na primeira campanha eleitoral da história recente do País durante uma pandemia, os candidatos à prefeitura de Jundiaí, interior de São Paulo, vão se dividir entre o tradicional corpo a corpo e a abordagem virtual dos eleitores por meio das mídias digitais, principalmente as redes sociais.

No primeiro dia de campanha, neste domingo, 27, pelo menos dois principais candidatos – o médico Antônio de Pádua Pacheco, do Podemos, e a urbanista Daniela da Câmara, do PT – vão para as ruas falar diretamente com o eleitorado, mas com máscaras e outros cuidados.

Outros dois, o atual prefeito Luiz Fernando Machado, do PSDB, e o ex-prefeito Pedro Bigardi, da Rede, preveem uma campanha mais virtual do que presencial. Os candidatos podem fazer campanha na internet, por meio de blogs, redes sociais e sites.

Já na manhã deste domingo, o candidato Dr. Pacheco, como é mais conhecido, vai visitar a Feira da Vila Hortolândia, uma grande feira livre de Jundiaí. “Será o marco inicial da campanha. Quero conversar com os feirantes, que sabem muito sobre os problemas da cidade.” Na segunda-feira, 28, de manhã, o médico vai visitar o comércio da região central e bairros próximos.

Para Entender

Calendário Estadão

As datas, definições partidárias, candidaturas e a cobertura especial do jornal das campanhas pelo País e nos Estados Unidos

Daniela, a candidata do PT, também não pretende abrir mão do contato direto com os eleitores, que é uma marca do partido, mas com os cuidados em razão da pandemia. É a primeira vez que Daniela se envolve diretamente em uma disputa eleitoral. Na manhã deste domingo, 27, ela inaugura a campanha em caminhada por um dos bairros da cidade – o local será definido na véspera. “Todo mundo de máscara, levando álcool gel, guardando a distância necessária”, disse. À tarde, Daniela fará uma reunião online com apoiadores.

Luiz Fernando inicia a corrida para tentar a reeleição sem evento presencial no dia de estreia. Segundo sua assessoria, o candidato tem agendadas para este domingo a gravação de vídeos da campanha e uma reunião virtual com grupo de apoiadores. De acordo com a assessoria, Luiz Fernando sempre usou as redes sociais como canal de diálogo com a população e seguirá com esse hábito durante a campanha.

O candidato a prefeito pela Rede, Pedro Bigardi, que já disputou oito eleições, prevê uma campanha mais virtual. “Neste ano, a campanha será diferente. Por conta da pandemia, vou priorizar redes sociais, evitando ao máximo contatos pessoais e reuniões para não colocar em risco a vida das pessoas. Farei reuniões virtuais, lives e divulgação de conteúdo online”, afirmou. No domingo, não fará campanha: vai ficar em casa e comemorar o aniversário da filha.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Em Campinas, candidatos reforçam atuação nas redes sem descuidar da TV

Campanha de rua será menos intensa, mas há previsão de caminhadas e encontros

Liza, especial para o ‘Estadão’, O Estado de S.Paulo

26 de setembro de 2020 | 13h00

CAMPINAS – Os candidatos a prefeito de Campinas adaptarão o velho corpo a corpo, com protocolos sanitários, devido ao coronavírus, e reforçarão ações nas redes sociais na campanha que começa neste domingo, 27. Lives e postagens serão intensificadas, mas também são previstos encontros e caminhadas. Facebook e WhatsApp são as ferramentas mais citadas.

A campanha na TV começa dia 9, e também terá relevância nas estratégias. Em tempos ainda estimados, as maiores chapas serão de Dário Saadi (Republicanos), com 3 minutos e 20 segundos; Rafa Zimbaldi (PL), 3 minutos e 10 segundos, e Pedro Tourinho (PT), 1 minuto e 37 segundos.

Para eles, a TV será um chamariz para a internet, mas também irão até o eleitor, sempre com máscara e álcool em gel. Saadi fará caminhadas abertas, além de encontros, e evita chamá-los de “corpo a corpo”. Zimbaldi terá conversas com grupos e link para sugestões em página virtual.

Tourinho fará caminhadas e carreatas. O PT abre campanha no bairro Campo Belo, com previsão de carro de som.

As campanhas de Delegada Teresinha (PTB) e Alessandra Ribeiro (PCdoB) avaliam que o gasto da população com internet reforça a TV gratuita como espaço para propostas, enquanto Artur Orsi (PSD) vê potencial para “conversa” em todas as mídias. André von Zuben (Cidadania) priorizará o “diálogo virtual” e Rogério Menezes (PV) defende debates nas redes como forma de reduzir gastos.

Laura Leal (PSTU) vê a internet como alternativa ao pouco tempo de TV, assim como Ahmed Tarique (PMN), que investe na presença virtual. Wilson Matos (Patriota) também prioriza suas redes sociais. Os candidatos terão encontros com grupos reduzidos.

Dr. Hélio (PDT) evitará ação presencial. Ele vê um fator “democrático” na internet, onde estará presente, mas diz que a cidade “não transferiu segurança” às visitas na pandemia. Rogério Parada (PRTB) e Edson Dorta (PCO) não terão direito a TV. Parada aposta nas redes sociais e ainda avalia ações presenciais. Dorta reforçará campanha virtual e fará consultas nas ruas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Sob pandemia, candidatos dão prioridade a contato com eleitores em Sorocaba

Campanha começa com visita a feiras e a bairros da cidade, caminhadas em parque e reuniões com apoiadores

José Maria Tomazela, O Estado de S.Paulo

26 de setembro de 2020 | 13h00

SOROCABA – Apesar da pandemia do coronavírus, os quatro principais candidatos à prefeitura de Sorocaba iniciam a campanha, neste domingo, 27, em contato presencial com o eleitorado. As assessorias afirmam que todos os cuidados sanitários serão tomados, como o uso de máscara e álcool em gel, além do distanciamento recomendado. A campanha eleitoral é a primeira na história política recente com o País em situação de pandemia.

Candidato do Republicanos, o vereador Rodrigo Manga abre a campanha para prefeito com caminhada, às 10h30, no Parque das Águas, uma das principais áreas de lazer da cidade. Às 15 horas, Manga visita o bairro do Éden, no extremo nordeste do município, junto à zona industrial. Segundo a assessoria, os dois eventos serão cercados de cuidados para evitar aglomerações e os participantes usarão máscaras.

A candidata do PSDB, Maria Lúcia Amary, terá uma maratona de reuniões com moradores de bairros na estreia da campanha. Desde a manhã, ela participará de reuniões presenciais nos bairros Jardim Paulistano, Jardim Zulmira e Júlio de Mesquita, em diferentes regiões da cidade. Ainda no domingo, fará uma visita à Vila Barão, um bairro tradicional que possui também núcleos com população vulnerável. As ações serão cercadas de cuidados devido à pandemia, segundo a assessoria.

Raul Marcelo, candidato do PSOL, visita uma feira livre de manhã em bairro da zona norte da cidade e, à tarde, reúne-se com moradores da região do Cajuru, extremo leste de Sorocaba. “Em 20 anos de vida pública nunca pensei em passar por uma campanha eleitoral em meio a uma pandemia”, disse. Conforme Raul, ele agora retoma as visitas presenciais, mas seguindo os protocolos de segurança sanitária. “Máscara facial, álcool em gel, distanciamento social e sem aglomeração. Respeitamos as recomendações da Organização Mundial de Saúde”, disse.

Para Entender

Calendário Estadão

As datas, definições partidárias, candidaturas e a cobertura especial do jornal das campanhas pelo País e nos Estados Unidos

A candidata do PSL, a atual prefeita Jaqueline Coutinho, começa o dia em visitas à feiras livres, a partir das 9h. A cidade está na fase amarela do Plano São Paulo, mas as feiras já vinham funcionando desde abril. Às 18 horas, o primeiro dia de contato com os eleitores será encerrado com visita ao bairro Jardim Iguatemi, na zona leste.

Renan Santos, candidato a prefeito pelo PDT, fará três reuniões com apoiadores no domingo. “Por conta da pandemia, o candidato optou por fazer pequenos encontros com líderes comunitários e candidatos a vereador em suas residências”, informou a assessoria. O candidato do DEM, médico Leandro Fonseca, irá de manhã ao bairro Vila Hortência, para se encontrar com apoiadores na feira popular do bairro. Às 19h30, ele e seu vice, Fernando Baddini, fazem live em rede social para discutir suas propostas com eleitores.

Também procurada pela reportagem, a assessoria do candidato Carlos Pépper, do Solidariedade, informou que a agenda só seria definida neste sábado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Em Rio Preto, campanhas apostam em mix de estratégias para conquistar eleitor

Tecnologia virtual e corpo a corpo se complementam na busca pelo voto; partidos menores contam com voluntários, militantes e doações para divulgar candidatos e ideias

Daniele Jammal, especial para o ‘Estadão’, O Estado de S.Paulo

26 de setembro de 2020 | 13h00

SÃO JOSÉ DO RIO PRETO – Em um ano marcado pela pandemia da covid-19, marqueteiros e coordenadores apostam, nesta primeira semana da campanha, em uma mistura de tecnologia com o tradicional corpo a corpo para conquistar o eleitor de Rio Preto.

Candidato a prefeito pelo PRTB e ex-presidente municipal do PSL, o médico Paulo Bassan disse que sua campanha será pobre e que conta com voluntários para poder ir atrás dos votos. “Em um país como o Brasil não faz sentido gastar com campanhas eleitorais”, declarou. Ele espera que o apoio de caciques do partidos impulsionem sua candidatura.

Presidente municipal do Republicanos, Diego Polachini, revelou que a candidata a prefeita, a coronel reformada da PM Helena dos Santos Reis, vai fazer corpo a corpo respeitando as regras de distanciamento, além de produção para TV, rádio e internet. Na agenda, há visitas a feiras livres e comércio. “Teremos uma quantidade de cabos eleitorais suficiente para fazer um trabalho de divulgação. Não vamos ter quem segure bandeiras nas ruas”, afirmou.

O PCdoB, que lançou o empresário Carlos Alexandre à Prefeitura, espera bons resultados com a divulgação das propostas em lives, podcasts e vídeos. Outro partido que concentrará sua artilharia nas redes sociais e em reuniões virtuais é o PSL do empresário Marco Casale.

O Democracia Cristã (DC) não tem direito ao Fundo Partidário e conta apenas com o Fundo Especial de Financiamento de Campanha (FEFC). O presidente local da sigla, Adilson Feliciano, disse que vai dedicar os primeiros 15 dias a captar doações de pessoas físicas. Para ele, a candidatura do advogado Rogério Vinícius a prefeito é “a única de oposição à atual gestão municipal”.

Para Entender

Calendário Estadão

As datas, definições partidárias, candidaturas e a cobertura especial do jornal das campanhas pelo País e nos Estados Unidos

O Novo, que tem na cabeça de chapa o empresário Filipe Marchesoni, contratou inicialmente 18 cabos eleitorais. A legenda, que dispensa o uso de dinheiro público, informou que a equipe de comunicação e marketing irá trabalhar de forma intensa via internet.

A coordenação de campanha de Edinho Araújo (MDB), atual prefeito e candidato à reeleição, informou que a primeira semana será reservada para gravações dos programas de TV, rádio e redes sociais. Além das reuniões internas com os coordenadores e representantes dos 12 partidos coligados, a agenda do emedebista prevê encontros virtuais com apoiadores.

O PSOL, do candidato Marco Rillo, declarou que por, ser um partido pequeno deve iniciar a campanha apenas com o apoio dos militantes. A candidata do PT, Celi Regina, lança em uma live neste domingo, Dia Mundial do Turismo, a Carta Compromisso com o Turismo em Rio Preto. O restante da semana será reservado para gravação dos primeiros programas de rádio e TV.

Além de redes sociais, o advogado e candidato a prefeito Carlos Arnaldo (PDT) está fazendo visitas aos eleitores em suas casas. “Com máscara e seguindo as orientações das autoridades de saúde”, garantiu.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.