Candidatos focam em recuperar centro e desenvolver periferia

Propostas das cinco principais candidaturas incluem as duas metas entre seus projetos para a cidade

BRUNO BOGHOSSIAN , O Estado de S.Paulo

14 de agosto de 2012 | 03h09

A recuperação do centro e a criação de empregos na periferia de São Paulo estão nos planos dos cinco candidatos a prefeito mais citados pelos eleitores nas pesquisas de intenção de voto. As propostas apresentadas por eles à Justiça Eleitoral contemplam tanto a construção de moradias populares na região central quanto a criação de programas de incentivo à abertura de empresas nos extremos da cidade.

Candidato apoiado pelo prefeito Gilberto Kassab (PSD) e líder nas pesquisas, José Serra (PSDB) estabelece como meta a criação de empregos e residências nas áreas mais próximas do centro. "Cidade mais densa em vez de cidade espraiada", resume seu programa de governo.

O tucano também cita como prioridades a revitalização de áreas nas zonas leste e noroeste, com as operações urbanas já defendidas por Kassab, como a Rio Verde-Jacu Pêssego.

Diferentemente de Fernando Haddad (PT), que ontem apresentou o detalhamento de seu programa de governo, os outros quatro candidatos mais bem colocados nas pesquisas se mantêm apoiados nos documentos entregues ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE).

Serra recebe em seu site sugestões de eleitores para projetos que pode adotar se for eleito, mas não pretende apresentar um programa nos moldes de Haddad. "O meu programa de governo foi apresentado à Justiça Eleitoral. É um programa para valer", disse ontem.

Na esteira da campanha petista, o candidato do PRB, Celso Russomanno, marcou para hoje a apresentação de seus projetos.

No primeiro parágrafo do plano entregue ao TRE por Russomanno, há um programa de geração de emprego nos bairros afastados no centro, batizado de Emprego na Periferia. Também é citado um projeto para utilizar prédios no centro para habitação social, com ocupação pela terceira idade e por universitários.

Incubadoras. Terceira colocada nas pesquisas de intenção de voto, Soninha (PPS) pretende detalhar seus projetos na próxima semana. Em seu plano de reorganização urbana, a candidata cita programas de interligação de corredores de ônibus e ação direta da Prefeitura na abertura de empregos na periferia, com a criação de incubadoras para pequenos negócios.

"O imposto regressivo já é lei, mas não é suficiente para incentivar o deslocamento das empresas para os extremos da cidade", afirma Soninha. O candidato do PMDB, Gabriel Chalita, vai detalhar suas propostas após o início da propaganda eleitoral na TV. Na campanha, já citou planos de isenção fiscal para empresas na periferia e a "revalorização" do centro de São Paulo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.