Candidatos de Porto Alegre priorizam corpo-a-corpo

Encerrada a fase de composições políticas e com os debates esgotados pela banalização, os dois candidatos à prefeitura de Porto Alegre passaram a priorizar o contato com o eleitor na reta final da campanha eleitoral. José Fogaça (PMDB), que havia dedicado a maior parte do tempo à costura dos apoios do PP, PSDB, PPS, DEM e PMN, às visitas a entidades de moradores e de classes profissionais, à gravação dos programas de televisão e à preparação de debates, passou a agendar pelo menos um horário diária para o corpo-a-corpo com eleitores desde quinta-feira. A candidata do PT, Maria do Rosário, fez hoje um ato público.Fogaça visitou hoje creches e caminhou pelas ruas de três vilas populares, a Timbaúva, a Chácara da Fumaça e a Mário Quintana. Enquanto abraçava crianças, o prefeito lembrou que a Creche Crescendo com Lazer, na Vila Timbaúva, foi construída pelo Programa Governança Solidária Local, que mobiliza recursos e capital social da comunidade para fazer obras sem custos para os cofres públicos. Também repetiu que considera a eleição deste ano como "a mais bonita de sua vida". "Quando se está sendo avaliado pelo que se fez aí é uma eleição de verdade", explicou o candidato à reeleição.O prefeito mostrou-se satisfeito também porque contará, no comício de encerramento da campanha, na quinta-feira, com a presença de prefeitos eleitos no interior, como José Ivo Sartori (PMDB), de Caxias do Sul, e Cézar Schirmer (PMDB), de Santa Maria, e líderes de todos os partidos que entraram na sua aliança no segundo turno.Na mesma atividade, o candidato a vice-prefeito, José Fortunati (PDT), admitiu que a presença de militantes de outras cidades portando bandeiras pelas ruas de Porto Alegre será reforçada nos últimos dias como antídoto ao método usado pelo PT há várias eleições. "É um recurso legítimo que os dois lados usam", comentou.A campanha de Maria do Rosário já contou com a presença de prefeitos da região metropolitana de Porto Alegre, eleitos pelo PT ou aliados. E esforçou-se para ter ao menos uma atividade de rua por dia em todo o segundo turno, mesmo nos dias em que a agenda estava lotada pelas gravações ou preparação para os debates. Hoje, no entanto, a candidata atrasou-se para um ato público na Esquina Democrática. Quando chegou ao local, limitou-se a subir à carroceria de uma caminhonete, na qual percorreu algumas ruas centrais abanando para os eleitores. À noite Maria do Rosário deve ir a uma festa na escola de samba Império da Zona Norte. O coordenador da campanha do PT, Cícero Balestro, confirma que os últimos dias de campanha serão de forte presença de militância na rua, em regiões movimentadas, com reforço de deputados e vereadores do partido e dos aliados PRB, PTC, PSL, PC do B, PT do B, PR e PCB.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.