Felipe Rau/Estadão
Felipe Rau/Estadão

Candidatos ao governo do Estado votam na Capital

João Doria, Paulo Skaf e Márcio França disputam vaga no segundo turno

O Estado de S.Paulo

07 Outubro 2018 | 11h05

Os três candidatos mais bem classificados nas pesquisas para o governo de São Paulo votaram esta amanhã em colégios da capital. O candidato do MDB, Paulo Skaf, votou em uma escola do bairro Jardim Paulistano, na Zona Oeste, acompanhado dos filhos e netos. Skaf evitou comentar pesquisas e disse que tinha de agradecer antecipadamente para "aquilo que for a vontade de Deus e dos eleitores".

O candidato do PSDB, João Doria, votou no Colégio Saint Paul's, na Zona Sul. "Eu não escolho candidato, eu disputo e venço candidato", declarou. Doria chegou ao local acompanhado do candidato ao Senado pelo PSDB, Ricardo Tripoli, e do prefeito de São Paulo, Bruno Covas. Estavam presentes ainda a também candidata ao Senado pelo PSDB Mara Gabrilli e o ministro da Ciência e Tecnologia, Gilberto Kassab. Segundo ele, este domingo é o dia de votar com "a razão e o coração" e, questionado sobre seu voto para presidente, reiterou apoio a Alckmin. "Geraldo Alckmin é o candidato do meu partido. É meu voto solidário e consciente."

O governador de São Paulo e candidato do PSB, Márcio França, votou no colégio E.E. Ludovina Credídio Peixoto, no Itaim Bibi, na zona sul, onde comentou a declaração de Doria sobre seu voto solidário em Geraldo Alckmin. “Doria votou contrariado. Todo mundo sabe que ele queria ser candidato à presidência da República e o governo do Estado é um prêmio de consolação que ele foi buscar.”

O candidato ao governo de São Paulo pelo PT, Luiz Marinho, votou na manhã deste domingo, 7, na cidade de São Bernando do Campo, no ABC paulista - região que é o berço do petismo - e disse que ainda confiava em mudanças no quadro eleitoral. Nas pesquisas ele têm 8% das intenções de voto, mas afirmou que "os candidatos do partido costumam contrariar os institutos de pesquisa".

Mais conteúdo sobre:
eleições 2018

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.