REUTERS/Amanda Perobelli/Silvana Garzaro
REUTERS/Amanda Perobelli/Silvana Garzaro

Candidatos a prefeito de São Bernardo do Campo em 2020; saiba quem são

Na tentativa da reeleição, prefeito Orlando Morando (PSDB) terá Luiz Marinho (PT) como principal adversário; conheça todos os nomes na disputa

Diego Kerber, O Estado de S.Paulo

09 de outubro de 2020 | 22h21

Terceira maior cidade da Grande São Paulo, atrás apenas da capital e de Guarulhos, São Bernardo do Campo tem seis candidatos registrados na disputa pelo Executivo municipal nas eleições de 2020. Neste ano, os são-bernardenses terão alguns rostos conhecidos na corrida, assim como novos postulantes.

Orlando Morando (PSDB), atual prefeito de São Bernardo, vai tentar a reeleição. Para isso, formou a maior coligação na cidade, com 17 partidos aliados, para enfrentar seu adversário já conhecido do PT, o ex-prefeito Luiz Marinho.

A polarização entre tucanos e petistas deve marcar as eleições deste ano, segundo especialistas, com ambos os lados apostando em seus legados e tentando provar de quem foi a melhor gestão. Enquanto isso, outros quatro candidatos tentam se mostrar como uma boa terceira via para a cidade.

Para Entender

Calendário Estadão

As datas, definições partidárias, candidaturas e a cobertura especial do jornal das campanhas pelo País e nos Estados Unidos

Um deles é o Dr. Leandro Altrão (PSB), médico da Família que atuou na linha de frente durante a pandemia do novo coronavírus e associar sua imagem a do ex-governador Márcio França, presidente estadual do partido e candidato a prefeito de São Paulo, que já declarou apoio a ele na corrida. Pela direita, Rafael Demarchi (PSL) se apresenta como o candidato cristão e conservador para tentar atrair o eleitorado bolsonarista.

Pela esquerda, outros dois partidos também disputarão a prefeitura. Do lado do PSTU, o sindicalista Claudio Donizete. Do outro, o PSOL aposta de uma chapa coletiva com dois nomes já conhecidos e três inéditos sob a representante veterana Professora Lourdes Souza.

Conheça abaixo cada candidato a prefeito de São Bernardo do Campo nas eleições 2020: 

Orlando Morando (PSDB)

O atual prefeito de São Bernardo do Campo entra no pleito para tentar a reeleição e, até agora, as pesquisas indicam uma margem bastante confortável no primeiro turno. Morando iniciou sua trajetória política na cidade quando foi eleito vereador pelo PSB em 1996. Em 2002 foi eleito deputado estadual e ficou no cargo até 2016.

Em 2008 chegou a se licenciar para disputar a prefeitura, desta vez já pelo PSDB, mas perdeu no segundo turno para Luiz Marinho (PT). Na última eleição municipal, no entanto, venceu no segundo turno o candidato do Alex Manente, então do PPS, com 59,9% dos votos válidos.

Mais recentemente, o prefeito foi diagnosticado com covid-19 e ficou internado em UTI logo no início da quarentena no Estado. Durante a pandemia do novo coronavírus, Morando apoiou o isolamento social como combate à doença e questionou o governador paulista.

Luiz Marinho (PT)

A aposta do PT para disputar o paço municipal é o ex-prefeito da cidade Luiz Marinho. Sindicalista quando trabalhava na indústria automotiva, Marinho começou envolvimento na política já sendo eleito presidente do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC.

Atuou no governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva como ministro nas pastas do Trabalho e Emprego e da Previdência Social. Em 2008, foi eleito prefeito de São Bernardo do Campo e foi reeleito em 2012. Após deixar a prefeitura em 2016, entrou na disputa do governo estadual de 2018, na qual acabou derrotado logo no primeiro turno por João Doria (PSDB) e Márcio França (PSB) e ficando em quarto lugar com 12,6% dos votos. Ele volta a disputar o primeiro lugar com o atual prefeito Orlando Morando (PSDB).

Ana Lupino, do PTB, é candidata a vice na chapa em sua primeira eleição a cargo eletivo.

Dr. Leandro Altrão (PSB)

O candidato do PSB a prefeito é o médico da família Dr. Leandro Altrão. Ligado à política desde cedo, Altrão participou do programa Parlamento Jovem, da Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (ALESP), sendo escolhido como deputado jovem três vezes.

Filiou-se ao PT aos 16 anos e chegou a ser eleito vereador suplente nas eleições de 2016 pela sigla, mas, por divergências com o partido, entrou recentemente para o PSB e vai usar o apoio do ex-governador Márcio França e experiência na área da saúde comunitária para se apresentar como terceira via na cidade em meio à polarização PT e PSDB.

Sua vice, do mesmo partido, será a Professora Sueli Palmeira, que concorre ao seu primeiro cargo eletivo.

Claudio Donizete (PSTU)

Para concorrer à prefeitura de São Bernardo, o PSTU escolheu o técnico de eletricidade, eletrônica e telecomunicações Claudio Donizete como candidato. Para vice-prefeito, o partido concorre com o Professor Fernando de Souza.

Este é o segundo pleito em que Donizete participa. Em 2018, se candidatou a deputado federal, mas não foi eleito. Antes disso, foi escolhido diretor do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC paulista por dois mandatos. Já Professor Fernando tenta um cargo eletivo pela quarta vez. Nas últimas três eleições, concorreu duas vezes para deputado estadual e uma para vereador na cidade, mas não foi eleito em nenhuma.

Lourdes da Chapa Coletiva (PSOL)

Para representar o PSOL, cinco membros do partido se juntaram em uma chapa coletiva. A principal representante é a professora da rede estadual e advogada Lourdes Souza. Ela já se candidatou duas vezes sem sucesso a vereadora na cidade, em 2008 e 2012, e chegou a tentar uma candidatura a deputada federal em 2010, mas teve o registro negado.

A outra candidata à frente da chapa é a Profª Soninha, professora aposentada da rede estadual, que está concorrendo pela primeira vez a um cargo eletivo. Compõe  também o grupo o professor Aldo Santos, ex-vereador da cidade pelo PT que concorreu a prefeito de São Bernardo nas últimas três eleições municipais, todas sem sucesso, e que teve a última candidatura a deputado federal pelo PSOL indeferida pela Lei da Ficha Limpa

Por fim, o Professor Paulo Neves, atual diretor da APEOESP (Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo), e Nilton DG, construtor membro do Movimento Estudantil Livre, fecham a chapa coletiva.

Rafael Demarchi (PSL)

O vereador Rafael Demarchi é a escolha do PSL para concorrer à Prefeitura são-bernardense. Ele se auto-define como cristão, conservador e defensor de “Deus, da Pátria e da Família”. A mudança de legenda, no entanto, é recente. Na sua primeira eleição municipal, Demarchi foi eleito vereador pelo PSD e, em sua segunda, pelo PRB.

O candidato se apresenta como mais uma alternativa da direita na disputa municipal. Para concorrer a vice na chapa, o PSL terá a psicóloga Ana Paula Puga, que participa pela primeira vez em uma eleição como candidata.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.