Candidato do PSB prevê investimentos de R$ 6 bi em BH

Candidato do PT, Patrus Ananias, lança seu programa de governo neste sábado

Marcelo Portela, de O Estado de S. Paulo

21 de setembro de 2012 | 17h44

A duas semanas da eleição, o prefeito Marcio Lacerda (PSB), que disputa novo mandato em Belo Horizonte, lançou nesta sexta-feira, 21, o programa de governo com previsão de investimentos de R$ 6 bilhões. Neste sábado, será a vez de seu principal adversário, o ex-ministro Patrus Ananias (PT), apresentar o documento com as propostas do que pretende implementar caso derrote o socialista, líder nas principais pesquisas de intenção de votos.

O programa lançado nesta sexta consiste em um documento de 121 páginas dividido em 12 tópicos - Cidade Saudável, Educação, Cidade com Mobilidade, Cidade Segura, Prosperidade, Modernidade, Cidade com Todas as Vilas Vivas, Cidade Compartilhada, Cidade Sustentável, Cidade de Todos, Cultura e Integração Metropolitana -, além de uma introdução com uma espécie de diagnóstico da capital.

O texto, porém, não especifica as previsões de investimento em cada uma das áreas. Segundo Lacerda, um terço dos investimentos será feito com recursos do município e o restante com financiamentos e parcerias com os governos do Estado e federal. "Estamos falando de R$ 6 bilhões em investimentos. É um esforço muito grande. A maior parte virá efetivamente de financiamentos. Mas boa parte desses financiamentos já está contratada ou são parcerias que já existem", disse o prefeito, que classificou as projeções como "conservadoras". "Nós colocamos na nossa previsão algumas parcerias, mas não a totalidade das possíveis", afirmou.

Em entrevista, Lacerda evitou citar investimentos na cidade feitos pelo governo federal, que apoia a candidatura de Patrus, e citou como exemplo aportes do Executivo estadual, comandado pelo PSDB, principal aliado da candidatura socialista. "O governo do Estado está contribuindo e vai contribuir nos próximos anos com recursos para a conclusão das obras do PAC da Copa. Isso está previsto nesse número", declarou.

A maior parte dos investimentos no Programa de Aceleração do Crescimento da Copa, porém, é de recursos da União. Lacerda não informou quanto será o investimento de cada nível de governo. "Não sei o porcentual. Mas também não é o momento de divulgarmos muitos detalhes. O orçamento do próximo ano enviaremos até o fim do mês para a Câmara de Vereadores", avaliou.

O prefeito ressaltou ainda que a "grande prioridade" para um possível segundo mandato é o investimento em obras de mobilidade. "Não se fez quase nada nos últimos 20 anos", disse. A declaração foi uma alfinetada na campanha adversária, pois o PT esteve na administração municipal desde 1993 e só deixou o Executivo no fim de junho, ao deixar a aliança em torno de Lacerda. "É onde a cidade vai demandar mais investimentos, não só no próximo mandato, mas nos outros dois ou três seguidos", salientou. O prefeito admitiu ainda que "nem tudo" do programa de governo apresentado na campanha de 2008 foi possível realizar. "Mas é uma parcela pequena em relação ao que entregamos", concluiu.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.