Divulgação
Divulgação
O Estado de S.Paulo

24 de julho de 2014 | 02h03

O candidato do PSB ao governo de Pernambuco, Paulo Câmara, divulgou nota ontem afirmando que vai tomar medidas judiciais contra o deputado federal José Augusto Maia (PROS-PE), a quem acusou de ser um "ficha-suja". "Figuras como José Augusto Maia devem ser banidas da política, como já foi determinado pela Justiça", disse na nota.

Segundo o candidato do PSB, o deputado foi condenado pela Justiça pernambucana, em abril deste ano, por improbidade administrativa e teve os direitos políticos suspensos pelo prazo de três anos. Augusto Maia foi prefeito de Santa Cruz do Capibaribe e teve quatro contas rejeitadas pelo Tribunal de Contas do Estado.

O presidente do PROS, Eurípedes Jr., negou a acusação do correligionário. "Não existe isso, nunca houve (a oferta de dinheiro ao deputado)", afirmou. "Ele vai responder em juízo."

Os deputados Ronaldo Fonseca (PROS-DF) e Major Fábio (PROS-PB) disseram que não presenciaram a suposta oferta de dinheiro ao deputado durante encontro no Recife. "A reunião foi feita no saguão de um hotel. Tinha muita gente circulando", afirmou Major Fábio, alegando que soube da história pela imprensa. 

Eduardo da Fonte (PP-PE) disse que não estava no País no período em que teriam ocorrido os encontros informados por Maia e afirmou que fará uma queixa-crime contra o parlamentar. Givaldo Carimbão (PROS-AL), Márcio Junqueira (PROS-RR) e Salvador Zimbaldi (PROS-SP) não foram localizados ontem. / A.L.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.