Reprodução/Divulgação TV Band
Reprodução/Divulgação TV Band

Candidato do partido de Bolsonaro no Paraná tem registro indeferido pela Justiça Eleitoral

Candidatura de Ogier Buchi (PSL) ao governo paranaense foi contestada pelo próprio partido no Estado

Katna Baran, O Estado de S.Paulo

18 de setembro de 2018 | 22h39
Atualizado 19 de setembro de 2018 | 12h35

CURITIBA - O Tribunal Regional Eleitoral do Paraná (TRE-PR) indeferiu nesta terça-feira, 18, a candidatura de Ogier Buchi (PSL) ao governo do Estado nas eleições 2018. Por unanimidade, os magistrados do Tribunal acataram impugnação da Executiva Nacional do partido, que, a mando do presidenciável Jair Bolsonaro, contestou o registro individual do candidato. Buchi é o único entre os dez candidatos ao governo paranaense que teve a candidatura indeferida.

Depois de aprovada a candidatura de Buchi na convenção estadual do partido, no mês passado, a legenda acabou não registrando o nome do postulante na Justiça Eleitoral no prazo legal. Buchi, então, fez um registro individual da candidatura. A determinação pelo não apoio ao correligionário partiu de Bolsonaro, que declarou, de última hora, ser favorável à eleição de Ratinho Junior (PSD) ao governo do Estado.

Ao processo de registro de candidatura de Buchi, a Executiva do partido anexou documentos anulando a deliberação de convenção partidária "no que dizem respeito a formação de coligação, escolha de candidatos e o seu registro, para concorrer às eleições aos cargos de governador e vice-governador". "Em razão da anulação, a participação do PSL no processo eleitoral deste ano, no Estado do Paraná, deverá limitar-se à eleição para o Senado Federal e às eleições proporcionais para deputado estadual e federal", afirma o documento.

Ogier Buchi declarou que vai recorrer da decisão do TRE. Num primeiro momento, ele segue autorizado a manter a campanha sub judice até decisão final do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Em nota, a campanha do candidato negou que a retirada de sua candidatura tenha sido ordem de Bolsonaro. "A questão judicial que envolve a candidatura de Ogier Buchi ao governo do estado do Paraná não tem relação direta com pedidos de Jair Bolsonaro. O problema envolve questões internas do partido no Paraná. Ogier Buchi foi indicado para a disputa em convenção do PSL, com registro em ata, conforme determina a lei. Diante disso, a equipe jurídica vai recorrer da decisão, com a confiança de que Ogier Buchi sairá vitorioso. A candidatura segue e a agenda de campanha está sendo cumprida normalmente."   

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.