Candidato diz ter sido vítima de atentado no RJ

Nelson Bornier (PMDB), que disputa a Prefeitura de Nova Iguaçu, foi abordado por homens armados, mas conseguiu escapar; no começo do mês, equipe de campanha foi agredida

Marcelo Gomes, da Agência Estado

27 de setembro de 2012 | 11h44

RIO - O deputado federal e candidato a prefeito de Nova Iguaçu (RJ) pelo PMDB, Nelson Bornier , disse à Polícia Civil do Rio que foi vítima de uma tentativa de atentado na noite desta quarta-feira (26) no distrito de Austin, naquele município da Baixada Fluminense. O político afirmou em depoimento na 56ª Delegacia de Polícia (Comendador Soares) que, por volta das 21h30, teve o seu carro, um Porsche Cayenne, interceptado por um Toyota Corolla prata, de onde desceram quatro homens armados.

Além de Bornier, estavam no Porsche o motorista do deputado e Nicole Ribeiro, filha da candidata a vice-prefeita em sua chapa, Nicolasina Acarisi. O político disse ainda à polícia que, como o Porsche é blindado, seu motorista conseguiu forçar o Corolla e escapou em direção a um posto da Polícia Militar próximo. Os criminosos não chegaram a atirar e fugiram em direção à Rodovia Presidente Dutra (BR-116). A lateral e o farol esquerdos do Porsche ficaram avariados.

Bornier saía de um compromisso de campanha no bairro Corumbá e seguia para outra reunião na Moenda, em Austin. Um segundo carro da comitiva do candidato o seguia, quando o Corolla ultrapassou os veículos e fechou o Porsche.

O caso foi registrado na 56ª DP como tentativa de homicídio. Segundo o delegado Delmir Gouvea, o próprio Bornier disse em depoimento que descartava a hipótese de o episódio ter sido uma tentativa de assalto. A investigação será encaminhada à 58ª DP (Posse), responsável pela região onde ocorreu o atentado.

Este é o segundo incidente envolvendo a campanha de Bornier à Prefeitura de Nova Iguaçu. No último dia 9, um motorista e um assessor do candidato foram roubados e espancados por traficantes do Conjunto Habitacional da Marinha, em Nova Iguaçu. Bornier disse na época que os bandidos teriam exigido um "pedágio" de R$ 50 mil para autorizar a realização da campanha na comunidade, e que o ataque seria uma forma de mostrar autoridade.

Bornier está em seu sétimo mandato de deputado federal. Em 1996, foi eleito prefeito de Nova Iguaçu e reeleito em 2000. Deixou o cargo em 2002 para concorrer novamente a deputado federal, dando lugar a seu vice, Mário Marques. É pai do também deputado federal Felipe Bornier.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.