Fábio Brandt/Estadão
Fábio Brandt/Estadão

Candidato ao governo do MA que rompeu com PT recebe material de apoio com Dilma

Flávio Dino (PCdoB) tem apoio do PSDB de Aécio e do PSB de Marina. PT está formalmente com Edison Lobão Filho (PMDB)

Fábio Brandt, enviado especial, O Estado de S. Paulo

11 de setembro de 2014 | 20h41

SÃO LUÍS - O candidato de oposição ao governo do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), afirma ter recebido do comitê de campanha da presidente Dilma Rousseff (PT) um material em apoio à sua candidatura. O fato seria normal se o PCdoB e o PT não tivessem rompido relações no Estado.

Dino se lançou candidato com apoio do PSDB de Aécio Neves e do PSB de Marina Silva, os dois principais adversários de Dilma na eleição presidencial. No Maranhão, o PT está formalmente com o candidato Edison Lobão Filho (PMDB), que tem o apoio da atual governadora, Roseana Sarney (PMDB), e de seu pai, o ex-senador e ex-presidente da República José Sarney (PMDB).


A divulgação dos adesivos estampados com uma foto de Dilma ao lado de Flávio Dino ocorre após uma semana de intensa repercussão da citação do pai de Lobão Filho, o ministro Edison Lobão (PMDB), no depoimento de delação premiada do ex-diretor da Petrobrás Paulo Roberto Costa. Petistas ouvidos pela reportagem avaliam que a notícia tem potencial para afetar negativamente a candidatura de Dilma e que, por esse motivo, a presidente não deve manifestar apoio público à família Lobão na eleição maranhense.

Mesmo o ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva, que chegou a gravar um vídeo já exibido na propaganda de Lobão Filho, não deve mais fazer campanha para o peemedebista, afirmaram petistas à reportagem.

Os adesivos incômodos a Lobão exibem, além da foto de Dilma e Dino, o CNPJ da coligação de Dilma - chamada "Coligação com a Força do Povo". O material foi entregue em um dos comitês de Flávio Dino em São Luís.

Divulgação. Pouco tempo após serem recebidas, as imagens passaram a ser distribuídas pelos apoiadores de Dino e integrantes formais de sua campanha. Entre eles, o candidato do PT a deputado federal Márcio Jardim, da ala rebelde do PT maranhense. 

Jardim tem exibido em sua propaganda eleitoral diversas críticas ao atual governo do Maranhão e ao fato de o PT ter decidido apoiar o candidato de Roseana Sarney. O número de Jardim é 1365, uma composição entre o 13 do PT e o 65 do PCdoB.

O Estado perguntou à campanha de Dilma se os adesivos foram mesmo feitos e entregues pelo PT a Flávio Dino. A assessoria preferiu não comentar o caso. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.