Jonas Oliveira/Governo do PR
Jonas Oliveira/Governo do PR

Pré-candidata à reeleição, governadora do Paraná investe em viagens

Cida Borghetti, do PP, visita 80 cidades em 90 dias e libera R$ 4 bi em convênios; ação é criticada por adversários

Katna Baran, O Estado de S.Paulo

16 de julho de 2018 | 05h00

CURITIBA - Desde que assumiu o governo do Paraná, a pré-candidata à reeleição Cida Borghetti (PP) percorreu quase um município do Estado por dia. Ela está no cargo desde 6 de abril, quando o ex-governador Beto Richa (PSDB) renunciou para disputar o Senado. Em 90 dias, Cida visitou 80 cidades – cerca de 20% do total.

Nesse período, segundo a governadora, foram assinados mais de 3 mil convênios, somando R$ 4 bilhões em investimentos nas cidades em áreas diversas como desenvolvimento urbano, saúde e turismo. 

+++Governadora do Paraná barra reajuste salarial de servidores públicos até eleição

No dia 3, durante sabatina promovida pela Associação dos Municípios do Paraná, Cida disse que sua administração é “municipalista” e que “olha de igual maneira a todas as cidades, da menor à capital do Estado”.

Em suas viagens para o interior, a governadora quase sempre vai acompanhada da filha, a deputada estadual e candidata à reeleição Maria Victoria (PP), e do marido, o ex-ministro da Saúde e deputado federal Ricardo Barros (PP), que nesta semana se colocou à disposição do partido para disputar a Presidência da República. 

+++Justiça Eleitoral determina que Requião remova publicação de pesquisa em rede social

Só nos dias 30 de junho e 1.º de julho, último fim de semana no qual dirigentes em busca de reeleição puderam participar de inaugurações e realizar transferências de recursos –, Cida fez uma maratona para visitar 12 municípios. Entre eles, Maringá, seu reduto eleitoral, que recebeu uma obra rodoviária.

A atitude da governadora desperta críticas. Adversários afirmam que ela usa a máquina para se favorecer eleitoralmente. “Tem de parar uma hora (de assinar convênios) para deixar um pouco para a gente assinar”, disse o pré-candidato ao governo Osmar Dias (PDT) na mesma sabatina, ironizando Cida e afirmando que vai vencer a eleição.

+++Pré-candidato ao Senado pelo Novo no RS desiste de disputar o cargo e acusa partido de censura

Apesar de já ter sido eleita deputada federal e estadual, Cida ainda tem alto grau de desconhecimento entre os eleitores paranaenses, segundo sondagens eleitorais. E, enquanto tenta se tornar mais conhecida, opta por fugir das polêmicas e assumir uma postura conciliadora. Durante a greve dos caminhoneiros, por exemplo, afastou um tenente-coronel que usou bombas de gás para reprimir protestos. 

Apoio. A estratégia, no entanto, levou a governadora a sofrer uma derrota política, ao deixar para depois do pleito a discussão sobre o reajuste do funcionalismo estadual. O recuo representou perda de base de apoio na Assembleia Legislativa e também entre os servidores, principalmente os do Executivo. Atualmente, o governo emprega 310 mil pessoas.

+++Filha de Enéas Carneiro é pré-candidata ao governo de Minas Gerais

Em nota, a governadora reforçou que a marca de sua gestão é o municipalismo e declarou não fazer pré-campanha. “O benefício citado pelos outros candidatos é o benefício para a população paranaense”, disse. 

Cida afirmou ainda desconhecer qualquer “conjectura sobre a insatisfação de parlamentares da base de apoio”. “Não há privilégio ou benefício para nenhum deputado da base. Há um tratamento igualitário”, completou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.