Campos sugere que candidatura é 'questão de responsabilidade'

O governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), sugeriu nesta terça-feira, 27, em São Paulo, que sua candidatura à Presidência da República é questão de responsabilidade. "Mais do que disposição, eu tenho responsabilidade. Sei da situação que o País vive e sei que a gente tem de ter nessa hora muita responsabilidade com o futuro do País", afirmou o governador, ao ser questionado sobre a possível candidatura ao Planalto pelo PSB em 2014.

Ricardo Chapola e Guilherme Waltenberg, O Estado de S.Paulo

28 Agosto 2013 | 02h02

Campos falou pouco antes de gravar sua participação no Programa do Ratinho, do SBT. Durante a entrevista, ele declarou ao apresentador que "falta traquejo político" à presidente Dilma Rousseff para o cargo e que governar "é gesto de humildade, de construir consenso".

"O partido sabe o tamanho da minha disposição", afirmou durante o programa - que não tem ainda data marcada para ir ao ar. 'Tanto sabe (o PSB) que me elegeu por duas vezes seguidas, por unanimidade, para a presidência." O governador pernambucano preside o PSB, que faz parte da base aliada ao governo Dilma.

Durante a gravação do quadro, ele disse que o modo de governar da presidente é percebido por prefeitos e governadores, quando estão com ela. "Falta traquejo político e diálogo (a Dilma), o que é percebido pelos prefeitos e governadores. O governo precisa dialogar mais, ter capacidade de ouvir. Governar é gesto de humildade, de construir consenso."

Campos foi convidado a comentar informações divulgadas no fim da semana segundo as quais o PSB já está mobilizando suas bases para trabalhar o seu nome como candidato na disputa presidencial do ano que vem. O governador respondeu que vê "com naturalidade" o trabalho realizado por líderes e pela militância de seu partido em torno da causa. Disse considerar "natural que o partido e a base partidária, na medida em que se aproxima a eleição, comecem a intensificar a ação".

Contatos. Antes de gravar a conversa no SBT, o governador de Pernambuco participou de outras duas agendas em São Paulo - que ele visita pela terceira vez em menos de uma semana. Nesta terça, foi ao Congresso Brasileiro de Avicultura, em São Paulo, e depois viajou até Santos, onde participou de um almoço com portuários. A intensificação de agendas nas cidades paulistas coincide com a divulgação de pesquisas de popularidade e intenção de voto que mostram que ele está estagnado no Estado.

Antes que o programa começasse a ser gravado, Ratinho disse que muitos telespectadores mandaram cartas pedindo a presença de Eduardo Campos no quadro. Segundo ele, Campos "é o político mais pedido" de sua lista. "É a novidade, né?", comentou o apresentador. " Ele é o mais pedido. A segunda é a presidente Dilma."

Mais conteúdo sobre:
Eduardo CamposEleições 2014

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.