O Estado de S.Paulo

18 de janeiro de 2013 | 02h04

O governador de Pernambuco e presidente nacional do PSB, Eduardo Campos, teve encontro reservado ontem com o deputado federal Júlio Delgado (PSB-MG), candidato à presidência da Câmara dos Deputados. Campos não declarou apoio público a Delgado após a reunião e evitou dar entrevistas. Horas depois, em evento oficial do qual participou no Recife, o governador de Pernambuco afirmou: "Disse a ele que não vou interferir no processo. Já fui deputado, sei que esse tipo de interferência não agrada aos parlamentares". À tarde, a assessoria do PSB divulgou uma nota que trazia a seguinte declaração de Campos: "A bancada do PSB escolheu a candidatura de Júlio. Ele conta com a solidariedade de diversos partidos e representa os novos ventos da política brasileira. Se eu fosse deputado, votaria nele". A frase foi apresentada pelo partido como uma declaração pública de apoio do governador à candidatura de Delgado à presidência da Câmara. Campos, porém, mantém-se ao lado da base governista, que apoia Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN).

/ MONICA BERNARDES, ESPECIAL PARA O ESTADO

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.