Campos rebate Aécio e faz autocrítica sobre Real

Governador afirma que senador precisa de 'dois divãs' e diz que esquerda errou ao combater plano de Fernando Henrique

ANGELA LACERDA , ENVIADA ESPECIAL / GRAVATÁ, O Estado de S.Paulo

23 de fevereiro de 2013 | 02h05

Possível candidato ao Planalto no ano que vem, o governador de Pernambuco e presidente do PSB, Eduardo Campos, investiu ontem contra o senador Aécio Neves, nome tucano à Presidência, e fez uma autocrítica em relação à postura dos partidos de esquerda - comandados pelo PT - em relação ao Plano Real e ao combate à inflação no governo de Fernando Henrique Cardoso (1995-2002).

Sobre Aécio, que em entrevista ao Estado publicada ontem afirmou que tanto ele quanto a presidenciável Marina Silva são "costelas do projeto petista" e "estão no divã", Campos afirmou: "Estou mais tranquilo que Aécio". E completou: "Se eu preciso de um divã, ele (Aécio) precisa de dois".

Logo em seguida, dirigiu críticas aos aliados petistas, que vêm fazendo comparações entre o governo de FHC com os governos de Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff. O PT classifica a gestão tucana de "neoliberal" e sua gestão de "desenvolvimentista".

"Não vejo como uma coisa boa alimentar esse debate velho, cansado, de um botar a culpa no outro como se ninguém tivesse feito nada", afirmou o governador. "Acredito que as pessoas que estão em casa entendam que só uma força política fez tudo."

Depois, Campos fez a autocrítica em relação aos ataques da esquerda ao Plano Real durante os anos 1990. "A gente pode dizer que foi pouco importante para o Brasil ter colocado fim à inflação?", questionou. "Isso não quer dizer que não tenhamos críticas ao governo FHC, mas não estávamos certos lá atrás quando dissemos que o Plano Real era um fiasco." Para o governador, "a esquerda brasileira errou e é preciso ter humildade para reconhecer".

Amigo de Campos, o governador de Sergipe, Marcelo Déda (PT), criticou ontem o colega por não assumir claramente qual é seu projeto político. Além das declarações de ontem, Campos já havia entrado no debate presidencial chamando a disputa entre petistas e tucanos de "velha rinha". "Com relação a uma pretensa rinha, pelo menos um elogio meu amigo e companheiro Eduardo Campos deve aos últimos pronunciamentos das lideranças do PT e do PSDB: elas estão sendo explícitas e sinceras em suas pretensões. Independentemente das divergências de mérito, não estão se valendo de subterfúgios para debater seus projetos e pretensões políticas com a sociedade brasileira", disse Déda. O governador de Sergipe afirmou que os passos de Dilma e Aécio não são "antecipação de campanha". "Há um legítimo e necessário debate político." / COLABOROU JOÃO DOMINGOS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.