ALEXANDRE SEVERO/Divulgação
ALEXANDRE SEVERO/Divulgação

Campos estabelece teto de R$ 150 milhões para sua campanha

Ex-governador registrará candidatura no TSE nesta quinta-feira; em 2010 Marina Silva registrou um teto de R$ 90 milhões

Isadora Peron, O Estado de S. Paulo

02 de julho de 2014 | 20h47

São Paulo - O ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos (PSB) vai apresentar nesta quinta-feira, 3, o pedido de registro da sua candidatura à Presidência ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Ele estabeleceu como teto para os gastos de campanha o valor de R$ 150 milhões. Em 2010, a sua companheira de chapa, Marina Silva, registrou um teto de R$ 90 milhões, mas no fim da disputa declarou ter gasto apenas $ 24,9 milhões. 

"O nosso teto, na verdade, vai depender da arrecadação. Esse é um valor que nos dá uma margem de segurança para trabalhar", disse Carlos Siqueira, coordenador da campanha da dupla.

Segundo Siqueira, o valor que será registrado na Justiça Eleitoral leva em conta os altos custos para viabilizar a estrutura de uma campanha à Presidência, especialmente no que se refere à produção da propaganda para rádio e TV.

Campos e Marina vão pessoalmente ao TSE fazer o registro. Considerado a espinha dorsal da aliança entre a dupla, o programa de governo que será entregue à Justiça Eleitoral, porém, não será a versão final elaborada pela equipe de campanha. O documento reunirá apenas as diretrizes gerais já apresentadas em fevereiro. 

Na época, o texto listava cinco prioridades, entre elas  o compromisso com o  desenvolvimento sustentável e mais investimentos em educação, cultura e inovação.

Os partidos têm até as 19h de sábado para formalizar as chapas no TSE. Até agora, outros dois candidatos já solicitaram o registro: Zé Maria, do PSTU, e José Levy Fidelix, do PRTB. Os pedidos ainda terão de ser analisados pela Justiça.

Tudo o que sabemos sobre:
EleiçõesEduardo CamposMarina Silva

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.