Campos defende uso de imóvel funcional pela mãe

Depois de apoio do filho, Ana Arraes disse que foi autorizada pela Câmara a continuar no apartamento e que vai ressarcir custos

ANGELA LACERDA / OLINDA, O Estado de S.Paulo

21 de fevereiro de 2012 | 03h03

O governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), disse ontem, em Olinda, considerar "normal" que a sua mãe, a ministra do Tribunal de Contas da União (TCU) e ex-deputada federal, Ana Arraes, ainda ocupe um apartamento da Câmara, mesmo tendo deixado a Casa para assumir a nova função. Ela foi eleita ministra em 21 de setembro do ano passado e teve o filho como seu maior cabo eleitoral.

"Não há uma impropriedade", afirmou, argumentando que o TCU ainda não preparou uma nova moradia para a mãe. Segundo ele, houve um pedido formal do órgão à Câmara, para a prorrogação da estadia até que a reforma na nova moradia seja concluída.

Em nota divulgada também ontem, Ana Arraes disse que tem a autorização formal para continuar usando o imóvel e que vai pagar do seu bolso "o ressarcimento dos respectivos custos". A Câmara cobra multa diária de R$ 100 desde novembro, quando ela deveria ter deixado o apartamento.

"Minha permanência no imóvel da Câmara dos Deputados, até conclusão da recuperação do apartamento obtido pelo TCU, prevista para o final de março de 2012, tem sido formalmente autorizada pela Mesa Diretora daquela Casa Legislativa e não causa qualquer prejuízo ao patrimônio público, uma vez que o ressarcimento dos respectivos custos de ocupação será feito às minhas expensas", afirmou na nota.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.