Campos: decisão de cassar João da Costa é 'frágil'

O governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), classificou hoje como "monocrática", "frágil" e "não fundamentada" a decisão do juiz das Investigações Eleitorais, Nilson Nery, que determinou a cassação do registro da candidatura de João da Costa (PT) a prefeito do Recife. O juiz analisou pedido do Ministério Público e, além da cassação, declarou Costa inelegível por três anos, por prática de abuso de poder político e eleitoral. "Na verdade, é uma decisão monocrática de um juiz de primeira instância. A campanha já recorreu ao TRE (Tribunal Regional Eleitoral). Esperamos que ainda hoje o TRE vá se pronunciar sobre isso", afirmou o governado, após participar de campanha em Belo Horizonte. "Uma decisão frágil, não fundamentada." O petista João da Costa, apoiado também pelo prefeito João Paulo (PT) e pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva, ocupa o primeiro lugar nas pesquisas, que apontam sua vitória no primeiro turno. Campos - que participou no centro de Belo Horizonte de uma atividade de campanha do candidato do PSB à prefeitura da capital mineira, Márcio Lacerda - demonstrou confiança de que a decisão será revertida.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.