Campinas terá prefeito para 8 meses de gestão

Depois de cassar Dr. Hélio e Demétrio Vilagra, vereadores vão decidir quem vai exercer mandato até vencedor da eleição em outubro assumir

TATIANA FÁVARO , CAMPINAS, O Estado de S.Paulo

08 de abril de 2012 | 03h05

A Câmara de Campinas escolhe seu novo prefeito em eleição indireta marcada para as 10 horas de terça-feira. Em votação aberta, 33 vereadores vão eleger a pessoa que comandará o Executivo até dezembro. A eleição ocorrerá pelo princípio da dupla vacância, quando prefeito e vice-prefeito deixam o cargo.

Hélio de Oliveira Santos (PDT), reeleito em 2008, foi cassado em agosto do ano passado. Seu vice, Demétrio Vilagra (PT), assumiu o cargo, mas também sofreu impeachment em dezembro.

Vilagra, cinco funcionários da gestão de Dr. Hélio e empresários serão julgados por supostos crimes de formação de quadrilha, desvio de recursos públicos e fraude em licitações. Entre os réus está também a mulher de Dr. Hélio, Rosely Nassim dos Santos. Outros 13 empresários e lobistas vão responder por suposto crime de corrupção ativa.

Mandato-tampão. Em meio à crise política, o então presidente da Câmara, Pedro Serafim Júnior, assumiu a prefeitura em dezembro de 2011. Filiado ao PDT de Dr. Hélio, Serafim é um dos quatro candidatos à eleição para o "mandato-tampão".

Além dele, estão na disputa os vereadores Arly de Lara Romêo (PSB) e Antonio Francisco dos Santos (PMN), e o procurador José Ferreira Campos Filho (PRTB). No dia 30, a Justiça revogou a liminar dada ao Partido Trabalhista Cristão (PTC) que mantinha a dentista Vânia Cristina Boscolo, filiada à sigla, na disputa pelo cargo.

A sessão se inicia com um número mínimo de 11 vereadores e a votação só pode começar com no mínimo 17. Os candidatos terão 30 minutos cada para o uso da tribuna. O voto dos 33 vereadores será aberto.

Com foram inscritas mais de duas chapas, será necessário obter maioria absoluta (17 votos) para vencer a disputa. Caso os candidatos não alcancem esse número de votos, os dois mais votados vão para um segundo turno e o vencedor precisará de maioria simples.

Se for necessário um segundo turno, ele será realizado pela Câmara no mesmo dia. Em caso de empate, será eleito o candidato mais velho, conforme está previsto na legislação eleitoral brasileira.

A população poderá assistir à eleição. A Câmara dos Vereadores distribuirá senhas uma hora antes do início da sessão, às 9 horas.

A Casa proibirá a entrada com faixas, cartazes, apitos, alimentos e bebidas. O Legislativo terá instalado um telão na entrada principal, na Avenida Roberto Mange.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.