Campanhas voltam a discutir ausência de parcerias para creche

Petistas acusam vice de Serra de não pedir verba para unidades novas; tucanos alegam que MEC recursou enviar recursos

O Estado de S.Paulo

19 de outubro de 2012 | 08h47

As campanhas de Fernando Haddad (PT) e José Serra (PSDB) voltaram a trocar acusações sobre a responsabilidade pela falta de vagas nas creches de São Paulo. Os petistas acusam o vice de Serra, o ex-secretário de Educação Alexandre Schneider (PSD), de não ter pedido verbas ao Ministério da Educação quando Haddad chefiava a pasta. Os tucanos dizem que o pedido foi feito e que a pasta não enviou os recursos.

O candidato do PT aproveita o debate para reforçar a plataforma de campanha de que vai desenvolver parcerias com o governo federal, comandado pelo PT.

A campanha de Serra afirma que a Prefeitura de São Paulo pediu o dinheiro ao MEC oficialmente, e que Schneider foi a Brasília para solicitar os recursos. O então secretário esteve no gabinete de Haddad em fevereiro de 2011.

O ministério alega que o pedido só deveria ter sido feito por um sistema eletrônico. Schneider afirma que o formulário não permitia o cadastro de municípios cuja qualidade do sistema de educação era considerado médio ou alto.

Em entrevista ao telejornal SPTV da TV Globo, anteontem, Haddad disse que "a Prefeitura desprezou R$ 250 milhões para a construção de 172 creches".

"Eu não vou me comportar como se comportou o prefeito Kassab e o seu secretário da Educação, que nunca fez um único pedido de verba e, quando fez, alegou não preencher um formulário eletrônico para não receber um direito que é seu", afirmou.

O petista disse ainda que Schneider deu uma entrevista em 2010 em que dizia que São Paulo não tinha terrenos suficientes para a construção de creches. Haddad atribui a esse problema a falta de projetos para a área.

"(Schneider) diz: eu não tenho terrenos para construir as creches que o Haddad está colocando à disposição da cidade. Você acha justo que um secretário alegue falta de terreno para não receber R$ 250 milhões?", questionou o candidato.

No dia 29 de junho de 2011, Schneider enviou um ofício ao Ministério da Educação em que lista 141 terrenos para creches em São Paulo e pede recursos ao governo federal para a construção de 120 unidades na cidade.

"Solicito incluir a demanda para a construção de 120 creches e escolas de educação infantil no ProInfância, garantindo, em colaboração com este município, o acesso de crianças a creches", escreveu o secretário.

O MEC recebeu o documento no dia 6 de julho e enviou o material ao Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação, autarquia responsável pelo programa de construção de creches.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.