Campanha de Marta defende 'direito de conhecer' Kassab

Após a polêmica das inserções comerciais de televisão da candidata do PT à Prefeitura de São Paulo, Marta Suplicy, sobre a vida pessoal do prefeito Gilberto Kassab (DEM), candidato à reeleição, o coordenador-geral da campanha petista, deputado Carlos Zarattini (PT-SP), defendeu hoje, em nota oficial, o "legítimo direito de o eleitor conhecer, em todos os aspectos possíveis, a história de quem se apresenta para governar a maior cidade do País".Zarattini repudiou, "veementemente, as insinuações que alguns veículos têm feito a respeito". A publicidade da campanha questiona, desde ontem, o estado civil de Kassab. "O candidato Gilberto Kassab dedica-se, em sua campanha, a esconder sua trajetória e companhias, seus compromissos e lealdades, vendendo gato por lebre ao eleitor", afirmou o comunicado. Segundo o coordenador-geral da campanha de Marta, o prefeito de São Paulo esconde a condição de "filhote do malufismo, de braço direito do ex-prefeito Celso Pitta, de integrante do partido mais conservador do País". O texto disse ainda que Kassab "esforça-se para iludir os paulistanos com promessas falsas, jogando para debaixo do tapete seus próprios atos como governante". "As insinuações absurdas e cínicas sobre invasão de privacidade do outro candidato são inaceitáveis", afirmou Zarattini, na nota, ressaltando que a candidata do PT à Prefeitura de São Paulo "foi vítima constante do preconceito e da intriga, patrocinados, ironicamente, pelos mesmos setores que hoje apóiam Kassab".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.