Reprodução
Reprodução

Campanha de Joice chama Russomanno de ‘cavalo paraguaio’ na TV

Candidato do Republicanos tem sido o alvo preferencial da deputada, que obteve 2% das intenções de voto na mais recente pesquisa Ibope

Pedro Venceslau, O Estado de S.Paulo

03 de novembro de 2020 | 19h45

Após registrar uma queda de 25% para 20% nas intenções de voto na mais recente pesquisa Ibope/Estadão/TV Globo, o deputado Celso Russomanno (Republicanos) foi chamado de “cavalo paraguaio” no programa de TV da deputada Joice Hasselmann (PSL) que será exibido a partir desta quarta-feira, 4.

No vídeo, um locutor diz em tom de deboche “tá Russomanno”. Em seguida, o boneco de um cavalo aparece dizendo: “sabe por que eu gosto de picolé? Porque, assim como eu, ele derrete”. No alto da tela aparece um selo onde se lê “cavalo paraguaio”.

Russomanno tem sido o alvo preferencial de Joice, que obteve 2% das intenções de voto na pesquisa mais recente. Em comerciais, entrevistas e debates, ela provocou o adversário, citando a delação da Odebrecht na qual o deputado foi acusado de receber caixa 2. Ela lembrou ainda que Russomanno apoiou Dilma Rousseff na campanha presidencial de 2010. Ex-líder do governo Bolsonaro, a deputada rompeu com o presidente, mas busca atrair o eleitor de direita “bolsonarista” arrependido. 

“Ele sempre esteve ao lado da esquerda. Agora, tenta ocupar o espaço eleitoral próximo da direita. Esse espaço é da Joice, que é direita raiz”, disse ao Estadão o publicitário Daniel Braga, que coordena a comunicação da campanha de Joice Hasselmann. A campanha de Russomanno tentou, na Justiça, retirar do ar os comerciais de Joice que o ligam a delação da Odebrecht, mas não obteve sucesso. 

O marqueteiro de Russomanno, Elsinho Mouco, rebateu a adversária. “Joice não tem jeito mesmo. Ela está trabalhando para ter um cargo no governo estadual com Doria ou no municipal com Covas”, disse ao Estadão

A campanha de Russomanno tem colado a imagem dele em Bolsonaro e a de João Doria (PSDB) em Bruno Covas (PSDB) nos comerciais de TV e rádio.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.