Campanha de Alckmin fica mais agressiva contra rivais

A três semanas da eleição e com a ida para o segundo turno ameaçada pelo crescimento de Gilberto Kassab (DEM) nas últimas pesquisas, o candidato do PSDB à Prefeitura de São Paulo, Geraldo Alckmin, subiu o tom da campanha. A propaganda tucana na TV pôs no ar uma inserção que menciona "pontos fracos" dos adversários Kassab e Marta Suplicy (PT). Com uniforme de piloto de avião, um ator pergunta ao telespectador se ele prefere ver a cidade nas mãos de alguém que grita com o passageiro (mostra uma foto de Kassab), de alguém que manda relaxar em um momento difícil (exibe imagem de Marta) ou de um "comandante sério", referindo-se a Alckmin.A inserção faz menção indireta a dois episódios protagonizados pela petista e pelo prefeito. Em fevereiro do ano passado, Kassab expulsou de uma unidade de saúde, aos gritos de "vagabundo", um homem que protestava contra a Lei Cidade Limpa. Em junho de 2007, a então ministra do Turismo sugeriu aos passageiros "relaxar e gozar" para enfrentar o caos aéreo. A propaganda, já assinada pelo novo publicitário de Alckmin, Raul Cruz Lima - na semana passada o marqueteiro Lucas Pacheco deixou a campanha depois de ser alvo de críticas de alckmistas -, faz parte da estratégia do "tudo ou nada" do PSDB para tentar emplacar o tucano no segundo turno da disputa. RespostasOntem mesmo, o PT já avisou que vai acionar a campanha de Alckmin na Justiça Eleitoral. O advogado do partido, Hélio Silveira, vai alegar, na representação, que a peça é ofensiva. O DEM, de Kassab, também acionou o Tribunal Regional Eleitoral contra o PSDB, mas não pelo conteúdo do comercial, e sim pelo uso de computação gráfica, o que é proibido. "A gente tem de se preparar e criar casca de jacaré, porque a turma vai bater", afirmou a candidata do PT, Marta Suplicy, sobre a mudança de tom da campanha de Alckmin. "Eu não escutei (as novas propagandas de Alckmin), mas provavelmente todos vão aumentar a crítica, porque quem está em primeiro lugar os outros querem tirar. Nós estamos consolidados, tranqüilos."Comentando os rumos da campanha, o prefeito e candidato à reeleição, Gilberto Kassab (DEM), reafirmou que não vai subir o tom, apesar de ataques de adversários. "Eu acho que a população quer ouvir propostas. E quer observar o que cada um fez quando ocupou cargo público aqui na cidade de São Paulo", afirmou. "Minha campanha vai continuar sendo de propostas." As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.