Reprodução
Reprodução

‘Calendário Estadão’ traz agenda eleitoral

Novo produto guia usuário para datas mais importantes dos pleitos municipais e nos EUA

Redação, O Estado de S.Paulo

02 de agosto de 2020 | 05h00

O Estadão lança neste domingo, 2, um novo produto para seus leitores: o Calendário Estadão, que pretende ser uma espécie de bússola das eleições 2020, guiando o usuário para conteúdos relacionados às datas e eventos mais importantes das disputas municipais no Brasil e presidencial nos Estados Unidos. Criado como uma agenda que pode ser adicionada a aplicativos que o leitor tem em seu telefone celular, tablet ou computador, o calendário foi concebido para que o leitor não perca nenhum momento importante das eleições deste ano.

O Calendário Estadão é parte da proposta de diálogo permanente com o leitor que o Grupo Estado tem buscado em seu processo de transformação digital – inovando na forma de produzir e de distribuir conteúdos. Ele marca também o início de uma cobertura especial das corridas eleitorais nos municípios brasileiros e nos EUA.

Toda semana, o leitor encontrará um roteiro dos fatos e sua análise para acompanhar as tendências e mudanças nas campanhas eleitorais. A agenda não vai se limitar às datas da Justiça Eleitoral. Trará também os eventos, os debates, as pesquisas, programas, opiniões e conteúdos especiais (além de textos, podcasts, vídeos, infográficos e outros) que serão veiculados no portal estadao.com.br e publicados no jornal. O calendário será atualizado constantemente e avisos vão alertar o leitor sobre os fatos. Assim, o usuário terá não apenas uma agenda para organizar o seu tempo, mas para compreender o mundo que o cerca.

“O Calendário Estadão é mais um produto do Grupo Estado com foco na informação de qualidade e na prestação de serviço ao leitor. As eleições deste ano, em meio à pandemia de covid-19, impõem um desafio à cobertura jornalística, principalmente das disputas municipais – que têm impacto direto sobre a vida do cidadão”, disse o editor executivo David Friedlander.

O calendário poderá ser integrado à agenda do usuário gratuitamente. Na estreia, vai disponibilizar dezenas de textos sobre as regras e as mudanças ocorridas na legislação e no cronograma da Justiça Eleitoral – fundamentais para a compreensão do pleito municipal. 

O leitor poderá se informar como está o cenário da disputa pelas prefeituras de algumas das principais capitais do País e cidades do Estado de São Paulo e também entender como se organiza o processo eleitoral nos Estados Unidos – uma campanha que vai decidir se a população americana dará mais quatro anos para o republicano Donald Trump ou se elegerá o opositor democrata Joe Biden.

A influência da pandemia de covid-19 no voto aqui e nos EUA também será tratada e analisada sob diversos aspectos – do possível impacto nas intenções de voto às medidas tomadas para garantir a segurança do ato de votar. Advogados eleitorais, ex-ministros do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), representantes de partidos, pré-candidatos e cientistas políticos foram consultados a fim de trazer a melhor informação para o leitor.

Para saber como compartilhar a agenda do Calendário Estadão, basta consultar a infografia com o passo a passo publicado nesta página e no portal. O Calendário Estadão pode ser usado com uma agenda Google, com o calendário Mac ou com a agenda do Outlook. Nos três casos, ela pode ser compartilhada por computador, telefone celular ou tablet.

Toda semana o leitor receberá também um resumo dos principais fatos na edição digital do jornal sobre as campanhas municipais no Brasil e sobre a presidencial e para o Congresso nos Estados Unidos, assim como as decisões da Justiça e quais as regras eleitorais que passam a vigorar naquele período. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.