Cachoeira se casa mas não pode deixar Goiânia

Em cerimônia realizada na própria casa onde vivem, em um sofisticado condomínio de Goiânia, o contraventor Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira casou-se, ontem à noite, com a empresária Andressa Alves Mendonça - ele aos 49 anos, ela aos 30. O evento, fechado à imprensa, foi preparado para receber cerca de 50 convidados. Os noivos não viajarão em lua de mel, pois a condenação que ele sofreu inclui a necessidade de autorização judicial para deixar a capital goiana.

PEDRO PALAZZO / GOIÂNIA , ESPECIAL PARA O ESTADO, O Estado de S.Paulo

29 de dezembro de 2012 | 02h02

A parte religiosa da cerimônia ficou a cargo de um pastor da Igreja evangélica Videira - Cachoeira converteu-se ao neopentecostalismo depois de ter sido preso, em 29 de fevereiro, sob acusação de comandar um amplo esquema de jogos ilegais e corrupção de agentes públicos. Condenado em 1ª instância a 39 anos de prisão, em um dos processos, ele recorre em liberdade. Sobrinho de Cachoeira, o vereador de Anápolis Fernando Cunha Neto (PSDB) é um dos convidados. "Hoje é aniversário da minha filha, mas vou tentar ir para lá mais tarde", avisou ele ontem à imprensa.

Jantar. Cachoeira e Andressa se conheceram em 2009, durante um jantar na casa dela e de seu primeiro marido, o hoje senador Wilder Morais (DEM-GO). Áudios da Operação Monte Carlo revelam que o relacionamento entre os dois começou enquanto ela ainda era casada. Em agosto passado, o bicheiro aproveitou a audiência na Justiça Federal em Goiás para dizer a Andressa que se casaria um dia depois de ser solto.

Cachoeira deixou a prisão na madrugada de 21 de novembro mas voltou a ser preso em 7 de dezembro. Ao sair, de novo, quatro dias depois, marcou, enfim, a data do casamento.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.