Cabral usa Lula para consolidar liderança de Paes

Apesar do tempo chuvoso, o último domingo de campanha do candidato favorito nas pesquisas à Prefeitura do Rio, Eduardo Paes (PMDB), terminou em disputa de pênalti com o governador Sérgio Cabral Filho (PMDB) na areia da Praia de Copacabana. Após a brincadeira, Cabral deu uma entrevista na qual citou seis vezes o presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Ao tentar justificar o mau desempenho no futebol, Paes também citou o presidente. "Vamos sempre jogar entrosados. Vou usar um exemplo: a grande parceria do governador com o presidente começou no campo mais sagrado do mundo, o Maracanã." A partida, disse, é a "consolidação dessa parceria, para fechar o ciclo completo" nas esferas federal, estadual e municipal. Cabral disse querer tratar o futuro prefeito do Rio como trata o presidente. "O que acontece entre mim e o Lula é mais que relação política, é relação de amizade", disse. "Essa camaradagem será traduzida na otimização de recursos." Adversário político do prefeito Cesar Maia (DEM), ele criticou a atual gestão municipal. Para ele, é uma "aberração que a prefeitura nunca tenha se envolvido na ampliação do metrô". Paes não quis comentar a arrancada do candidato Fernando Gabeira (PV) na reta final da campanha. "Estou muito satisfeito com as nossas condições. Todas as pesquisas apontam a gente crescendo, em primeiro lugar", disse. "As pessoas apostam muito na parceria, na percepção de que finalmente vamos ter os três níveis de governo trabalhando juntos. Aqui não tem outra bandeira política que não o interesse do Rio." Ultrapassada por Gabeira, agora o terceiro colocado nas duas últimas pesquisas apresentadas, a candidata Jandira Feghali (PC do B) estava com um pequeno número de militantes em um quiosque da praia quando a turma de Paes e Cabral passou pela orla. "Não discuto quem vai para o segundo turno porque tenho certeza que eu vou."GabeiraApontado nas pesquisas como o candidato à prefeitura do Rio que mais tem crescido - uma alta de quatro pontos nas duas pesquisas mais recentes -, o deputado federal Fernando Gabeira (PV) contestou ontem os resultados do Ibope. Pesquisa do instituto o coloca em terceiro lugar, com 10% das intenções de voto, mas a uma distância de 14 pontos do segundo colocado, o senador Marcelo Crivella (PRB). Pelo Datafolha, o candidato verde tem 15% e o bispo licenciado da Igreja Universal, 18%. "Eu sempre disse que o Ibope estava a serviço do PMDB. Tenho condições de demonstrar que eles têm contrato com o PMDB no Estado inteiro. As pesquisas deles, no meu entender, não têm credibilidade. As pesquisas a que eu dou mais credibilidade são a do Datafolha e a do GPP, onde a situação é muito parecida", disse, durante uma caminhada ontem de manhã na orla da zona sul do Rio.Em campanha na zona oeste, Crivella preferiu não polemizar com os institutos de pesquisa. "A melhor pesquisa, para mim, é o carinho que tenho recebido do povo nas ruas", disse, segundo seus assessores. Ele destacou que tem chances de ir ao segundo turno. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.