Cabos do PT levam às ruas questionamento sobre vida de Kassab

Cabos eleitorais da petista passaram a hostilizar Kassab e a questionar sua vida pessoal, como na propaganda

Carolina Ruhman, da Agência Estado

14 de outubro de 2008 | 14h17

O tiroteio da campanha de Marta Suplicy, do PT, sobre a vida pessoal de seu adversário do DEM, o atual prefeito  Gilberto Kassab, saiu da campanha na televisão e foi para as ruas. Em atividades de campanha nesta manhã, tanto na zona Sul quanto na Leste, cabos eleitorais da petista passaram a hostilizar Kassab e a questionar sua vida pessoal.   Veja também: Enquete: estado civil do candidato interfere no voto? Blog: Leia os principais momentos do debate na Bandeirantes  Especial: Perfil dos candidatos em São Paulo  'Eu prometo' traz as promessas de Marta e Kassab  Geografia do voto: Desempenho dos partidos nas cidades brasileiras  Confira o resultado eleitoral nas capitais do País As principais promessas dos candidatos   Até então, esta questão não era discutida nas ruas. Entretanto, o foco do debate mudou logo após a veiculação de uma inserção - que já foi retirada do ar por ordem do comando da campanha - que questionava a vida pessoal do prefeito. A peça publicitária exibia uma foto de Kassab em branco e preto, enquanto o locutor fazia indagações sobre o seu passado. As últimas perguntas eram: "É casado? Tem filhos?" E concluía: "Para decidir certo é preciso conhecer bem."   Marta tentou encerrar a discussão. "Não tenho mais nada a dizer sobre esse assunto", disse, categórica. O clima acirrado nas ruas também provocou o início de um tumulto com um casal, que foi hostilizado por cabos eleitorais petistas, por defender a candidatura Kassab. O incidente ocorreu após o ato de apoio organizado por frentistas em um posto de saúde no bairro da Aclimação, na zona Sul. Marta já havia deixado o local, quando o casal passou e gritou: "Kassab! Kassab!" Ao ser informada sobre o ocorrido, Marta disse: "Grosseria e baixaria eu acho um horror, e se isso ocorreu, eu peço desculpas ao casal."   Pouco depois, enquanto Marta fazia corpo-a-corpo no bairro de Ermelino Matarazzo, na zona Leste, cabos eleitorais que a acompanhavam continuaram a desferir ataques à vida pessoal de Gilberto Kassab, inclusive com xingamentos.

Tudo o que sabemos sobre:
eleições 2008Gilberto KassabPT

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.