Brasil mostra que 'renovação é necessária', diz FHC

Para ex-presidente, Serra 'ainda tem condição de continuar'; 'antigos têm de empurrar os novos', diz tucano após votar

ÁLVARO CAMPOS, O Estado de S.Paulo

29 de outubro de 2012 | 03h02

O ex-presidente da República Fernando Henrique Cardoso insistiu ontem na necessidade de renovação no PSDB. "A renovação é necessária sempre e o Brasil está mostrando isso mais uma vez hoje", afirmou o ex-presidente, ao votar na capital paulista. FHC, no entanto, disse que o candidato derrotado do PSDB, José Serra, fez uma campanha "tenaz". "O Serra é mais jovem do que eu, e ele ainda tem a possibilidade de continuar a sua carreira, mas o partido, no geral, precisa de renovação. O momento é de mudança de gerações, mas isso também não quer dizer que os antigos líderes vão desaparecer. Eles têm apenas que empurrar os novos para a frente", disse.

Questionado ontem por uma eleitora sobre porque não participou mais ativamente na campanha de Serra, o ex-presidente respondeu que fez tudo que o partido lhe pediu. Disse que não acha que o PSDB errou ao escolher Serra em vez de um novo nome. "Não é erro de campanha que decide a vitória ou a derrota. Como eu disse, é preciso sintonizar com a população. Nem sempre o novo é bom, é preciso ter capacidade para realizar", afirmou.

Mensalão. Em relação ao julgamento do mensalão pelo Supremo Tribunal Federal, Fernando Henrique disse acreditar que o caso não provocou grande impacto nas eleições. Segundo ele, o mensalão não se traduz apenas eleitoralmente, "é uma coisa que diz respeito à conduta das pessoas". "O PT não pode passar impune pelo mensalão, fingir que nada aconteceu. O mensalão aconteceu e envolveu o comando do partido, então é preciso pensar: eu vou contra tudo o que eu defendi a vida inteira ou vou enfrentar essa questão? Será que eu devo tratar como herói quem foi condenado?"

FHC disse que não torce pela condenação dos envolvidos, mas espera que a punição iniba a ocorrência de casos semelhantes.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.