Brasil deveria se orgulhar de ter Duda Mendonça, diz Crivella

Candidato do PRB diz que marqueteiro acusado no caso Mensalão 'tem o ajudado muito, assim como ajudou Lula'

Giuliana Vallone, do estadao.com.br,

21 de agosto de 2008 | 13h27

O senador Marcelo Crivella (PRB), candidato à Prefeitura do Rio de Janeiro, comentou nesta quinta-feira, 21, o fato de ter o publicitário Duda Mendonça - acusado de integrar o esquema do Mensalão - no comando de sua campanha. "Eu contratei o Duda não foi pra ser meu conselheiro tributário, nem meu secretário de Fazenda, foi pra fazer uma campanha de marketing", disse. "Duda tem me ajudado muito, assim como ajudou muito ao Lula", afirmou, fazendo menção ao fato de quem o marqueteiro também dirigiu a campanha do presidente em 2002. À frente das pesquisas entre o eleitorado carioca, o Crivella abriu a série de sabatinas com candidatos a prefeito do Rio e de São Paulo, promovida pelo Grupo Estado. Veja também:Especial: Perfil de Marcelo Crivella  estadao.com.br estréia projeto Vereador Digital  Crivella defende parceria com setor privado e governo estadualCrivella diz que vai imitar Lula e fará política para pobres do RioExército não é responsável por mortes de jovens, diz CrivellaCrivella deve entrar na briga por royalties do petróleo "O Duda é importante como marqueteiro, se ele cometeu erros, a Justiça vai julgar. Eu só posso agradecer pela contribuição", disse. "Os brasileiros devem se orgulhar de ter um sujeito que conhece tanto do mercado de publicidade e que faz sucesso no mundo inteiro." Questionado sobre quanto gastaria com a contratação de Duda, o candidato afirmou que o custo ficará em torno de R$ 1 milhão. "Dependendo dos adversários, das lutas, das necessidades de filmagens externas, o custo pode aumentar", afirmou. Segundo ele, o gasto total com a campanha deve ficar em torno de R$ 4 a 5 milhões.  Sabatina Nesta sexta, será a vez do candidato petista à prefeitura do Rio, Alessandro Molon. Os demais serão sabatinados semana que vem: Eduardo Paes (PMDB), Fernando Gabeira (PV), Solange Amaral (DEM), Chico Alencar (PSOL) e Jandira Feghali (PC do B). Em São Paulo, do dia 1º ao dia 5, participam Marta Suplicy (PT), Geraldo Alckmin (PSDB), Gilberto Kassab (DEM), Paulo Maluf (PP) e Soninha Francine (PPS). Ivan Valente será sabatinado no dia 8.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.