Felipe Rau/ Estadão
Felipe Rau/ Estadão

Boulos se diz confiante e espera 'olho no olho' no segundo turno

Candidato, que aparece em empate técnico na disputa pelo segundo lugar, afirma apostar em debates e na paridade de tempo na TV

Ricardo Galhardo, O Estado de S.Paulo

15 de novembro de 2020 | 12h15

O candidato do PSOL à Prefeitura de São Paulo, Guilherme Boulos, votou por volta das 10h40 na Pontifícia Universidade Católica (PUC), no bairro de Perdizes. Em rápida fala a jornalistas, Boulos disse que em um eventual segundo turno, com paridade de tempo no horário eleitoral e debates em todas as grandes redes de TV, terá mais condições de virar o resultado das pesquisas, que apontam o favoritismo do prefeito Bruno Covas (PSDB).

"Chegamos até aqui em segundo lugar nas pesquisas com 17 segundos na TV, sem apoio da máquina dos governos federal e estadual só com engajamento de gente de verdade, sem robôs, sem fake news. Imagine no segundo turno quando 17 segundos virarem 10 minutos todo dia, com debate em todas as grandes redes de TV, olho no olho", disse o candidato.

Boulos estava acompanhado da mulher, Natalia Szermeta, coordenadora do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), das filhas Laura e Sofia, de 9 e 10 anos, assessores, candidatos a vereador e apoiadores.

Houve aglomeração de apoiadores de Boulos e jornalistas na entrada da PUC. Alguns eleitores reclamaram da dificuldade de chegar aos locais de votação.

Para Entender

Veja propostas de Guilherme Boulos

Confira quais são os principais pontos do plano de governo do candidato do PSOL para a Prefeitura de São Paulo nas áreas da Saúde, Educação, Emprego, Transporte, Segurança, Meio Ambiente e Habitação

Embalados pelo resultado da pesquisa Ibope da véspera, na qual Boulos aparece em segundo lugar com 16% dos votos válidos, mas em empate técnico com Márcio França (PSB) e Celso Russomanno (Republicanos), que têm 13%, os simpatizantes do PSOL demonstraram otimismo aos gritos de "segundo turno". Os apoiadores do candidato também entoaram palavras de ordem contra o presidente Jair Bolsonaro.

A exemplo do que tinha feito no sábado, últimos dia de campanha, Boulos ressaltou que sua campanha representa um resgate na forma de disputar eleições, sem grandes estruturas financeiras nem de marketing.

"Estou muito confiante que vamos para o segundo turno. A gente tem feito até aqui uma campanha linda, uma campanha marcada pela esperança. Se a gente puder avaliar o que foram estes meses, além de apresentar um projeto novo e ousado para São Paulo, com foco nas periferias, está sendo um resgate de um jeito de fazer política com esperança, sonho, princípios, mostrando que é possível voltar a fazer política desse jeito", disse o candidato.

Para Entender

Quem é Guilherme Boulos? Conheça o candidato do PSOL à Prefeitura de São Paulo

Com a ex-prefeita Luiza Erundina como vice, professor e membro da coordenação nacional do MTST busca votos da esquerda na capital paulista

Indagado sobre possíveis apoios do PT e do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no segundo turno, o candidato desconversou para não melindrar os possíveis aliados.

Da PUC Boulos foi para sua casa, no Campo Limpo, onde deve ficar com a família até o término da votação. Ele só volta a falar à noite, depois que o Tribunal Regional Eleitoral (TRE) divulgar o resultado do primeiro turno da eleição.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.