Divulgação
Divulgação

Bolsonaro recebe Crivella no Alvorada para gravar vídeo de apoio à reeleição do prefeito no Rio

Nessa quinta, presidente declarou apoio ao candidato do Republicanos, mas ponderou: 'Se não quiser votar no Crivella, tudo bem também. Respeito o seu candidato'

Emilly Behnke, Camila Turtelli, Daniel Weterman, Eduardo Gayer, O Estado de S.Paulo

30 de outubro de 2020 | 11h00
Atualizado 30 de outubro de 2020 | 11h42

BRASÍLIA - Depois de anunciar ontem o seu apoio à reeleição de Marcelo Crivella (Republicanos) no Rio de Janeiro, o presidente Jair Bolsonaro recebeu o prefeito e candidato para um café da manhã no Palácio da Alvorada nesta manhã, 30. O prefeito estava acompanhado da mulher, Sylvia Jane. 

A assessoria do prefeito informou que Crivella ouviu conselhos do presidente e os dois gravaram programa oficial para a campanha eleitoral.

Em transmissão ao vivo ontem, Bolsonaro fez menção a Crivella, a quem se referiu como "um nome que dá polêmica". “Um nome que dá polêmica, que o Rio de Janeiro sempre é polêmico, eu tô aqui com Crivella... Conheço ele há muito tempo, foi deputado federal comigo, depois foi senador, prefeito do Rio de Janeiro, é autor de uma proposta de emenda à Constituição tem uns sete, oito anos, que passou a permitir que os militares das Forças Armadas pudessem exercer também a profissão de saúde, fosse médico, enfermeiro, pudesse acumular. Foi tenente do Exército, serviu no Batalhão de Barra Mansa, na época, mas (...) tô pedindo voto pela administração no Rio de Janeiro”, disse o presidente, que também ponderou: “Se não quiser votar no Crivella, tudo bem também. Respeito o seu candidato”.

Para Entender

Quem são os candidatos a prefeito do Rio nas eleições 2020

Eduardo Paes e Marcelo Crivella lideram a disputa pela prefeitura do Rio de Janeiro; confira lista completa e conheça todos os nomes na corrida

Bolsonaro também se referiu ao ex-prefeito Eduardo Paes (DEM), que lidera as pesquisas de intenção de voto. Chegou a elogiá-lo, embora sem citá-lo nominalmente.  “O outro eu não quero tecer críticas (sic), é um bom administrador, mas eu fico com o Crivella”, afirmou.

Para Entender

Calendário Estadão

As datas, definições partidárias, candidaturas e a cobertura especial do jornal das campanhas pelo País e nos Estados Unidos

Com o apoio de Bolsonaro, Crivella espera virar o jogo na disputa eleitoral, onde está ficando para atrás nas intenções de voto. De acordo com último levantamento do Ibope, Crivella tem 12% das intenções de voto, empatado tecnicamente com Martha Rocha (PDT), que tem 8%. Na liderança com folga está Paes, com 30%.

Ele fez ainda campanha para Celso Russomanno (Republicanos), em São Paulo; Bruno Engler (PRTB), em Belo Horizonte; e Coronel Menezes (Patriota), em Manaus.

Na quarta-feira, mesmo com a tempestade causada pelo decreto sobre as unidades de saúde e com as votações no Congresso emperradas pela obstrução da sua base, Bolsonaro encontrou um tempo para dar seu apoio a um aliado.  Ao lado do deputado governista Daniel Silveira (PSL-RJ), ele gravou um vídeo pedido votos para o candidato à prefeitura de Petrópolis Elias Monte (PSL). As imagens foram feitas no Palácio do Planalto depois de um almoço com parlamentares. “Eu peço a vocês, em especial quem não decidiu ainda, vamos, se for possível, dar uma força para o Elias que, via Daniel, vai ter um contato direto comigo aqui em Brasília e o que for possível fazer, nós faremos para que Petrópolis seja cada vez melhor”, diz Bolsonaro, entre ambos, nas imagens.

Daniel Silveira reconhece que conseguiu arrancar uma raridade do presidente. “O presidente confia em mim e sabe que sou fiel, assim como ter o apoio dele é mais que prestígio, mas uma grande responsabilidade, pois ele não compactua com corrupção e política suja”, disse o deputado.

Elias Monte, no entanto, não foi o primeiro a ganhar um apoio explícito de Bolsonaro. Desde o dia 28 de agosto, quando Bolsonaro declarou no Twitter que não se envolveria no primeiro turno das eleições por ter “muito trabalho na presidência”, já quebrou a promessa em outras ocasiões.

O principal apoio do presidente, até então, era Celso Russomano, para prefeitura de São Paulo, mas o candidato do Republicanos tirou Bolsonaro do seu jingle, depois de cair nas pesquisas. Mesmo assim, de acordo com o marqueteiro da campanha, Elsinho Mouco, o presidente vai gravar uma mensagem para o horário eleitoral de Russomanno no início da semana que vem. Ao Broadcast Político/Estadão, Mouco afirmou que as opções de roteiros, em tom "propositivo", já estão nas mãos de Bolsonaro. "Os roteiros são de situações que têm a ver com auxílio paulistano, auxílio saúde e construção de moradias, sem críticas a adversários políticos", disse o marqueteiro.

O presidente também apoiou Bruno Engler (PRTB) para a prefeitura de Belo Horizonte (MG). Seu apoio, no entanto, não surtiu muitos efeitos positivos nessas campanhas. Mesmo assim, ele dá sinais de que vai intensificar sua participação direta nas eleições. Ainda na quarta-feira, depois de gravar o vídeo para Elias Monte, disse que gostaria de ter mais participação nas eleições municipais deste ano e que, "discretamente", começará a atuar nas campanhas.

“Como está o Bruno em BH, está crescendo?”, indagou o presidente a apoiadores na saída do Palácio da Alvorada, antes de receber o convite para ir à capital mineira. “Eu tenho que ir para lá por meios próprios e não tenho como arranjar segurança para mim. É muito caro, não tenho condições. Gostaria de ter participação nas eleições municipais... Eu vou aos municípios, BH me interessa, gosto muito do Bruno Engler, pode fazer um bom trabalho caso chegue à prefeitura e, discretamente, vou começar a atuar”, completou.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.