Yuri Silva
Yuri Silva

Bolsonaro envia mensagem de apoio a candidato de Alckmin na Bahia

Áudio gravado pelo presidenciável no hospital foi divulgado nas redes sociais de José Ronaldo (DEM)

Yuri Silva, O Estado de S.Paulo

27 de setembro de 2018 | 19h25

SALVADOR - Do hospital onde está internado desde que sofreu um atentado a faca em Juiz de Fora (MG), o presidenciável do PSL Jair Bolsonaro enviou áudio para o candidato do DEM ao governo da Bahia, José Ronaldo, e para deputado federal e postulante do PSC ao Senado, Irmão Lázaro, por meio do WhatsApp, declarando apoio aos dois nas eleições 2018. Na Bahia, pelo menos oficialmente, Ronaldo apoia o candidato do PSDB ao Palácio do Planalto, o ex-governador de São Paulo Geraldo Alckmin.  

Na mensagem, reproduzida nas rede sociais pela campanha do candidato democrata, Bolsonaro afirma que "somos todos DEM para o governo da Bahia". O capitão da reserva ainda agradece a Lázaro "pelo apoio, consideração e pelas orações" e diz torcer para o deputado, ligado à igreja Assembleia de Deus, na disputa por uma vaga de senador.

O candidato à Presidência da República também prometeu, de acordo com dirigentes do DEM, gravar um vídeo para a campanha de José Ronaldo, que tem 10% das intenções de voto segundo dados do Ibope - o governador e candidato à reeleição, Rui Costa (PT), registra 61%.

A declaração de apoio do presidenciável do PSL a Ronaldo, que pretende avançar junto ao eleitorado bolsonarista no Estado, expõe a fragilidade da campanha presidencial do PSDB, principalmente nos Estados nordestinos.

Na Bahia, o PSDB é um dos partidos que compõem a chapa do candidado do DEM, que tem ainda o PSC, PTB e PRB . A concessão do palanque de Ronaldo a Alckmin é fruto de um acordo que, em maio, levou o deputado federal e presidente do PSDB da Bahia João Gualberto, até então pré-candidato ao governo do Estado, abrir mão de disputar o comando do Palácio de Ondina.

Naquela época, o próprio Alckmin atuou junto ao prefeito de Salvador e presidente nacional do DEM, ACM Neto, para que tucanos e democratas compusessem a mesma chapa estadual. Com o acordo, além do palanque no Estado, o presidenciável garantiu a vaga de vice-governadora na aliança para a médica Mônica Bahia e de candidato a senador para o deputado federal Jutahy Magalhães Jr., ambos do PSDB baiano.

Desde então, porém, Ronaldo tem flertado com a candidatura do capitão da reserva. Após receber apoio do PSL na Bahia e discursar em convenção estadual da sigla, o candidato do DEM nunca negou sua simpatia por Bolsonaro, embora destaque o apoio oficial a Alckmin.

A escolha do deputado evangélico Irmão Lázaro para disputar uma vaga de senador, mesmo com a discordância da cúpula do PSDB local, também caminhou nesse caminho. Ligado à Assembleia de Deus, Lázaro apoia Bolsonaro nacionalmente e faz discurso contra as reformas trabalhista e da previdência, defendidas pelos tucanos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.