Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

Bolsonaro diz que vai viajar ao Nordeste se for autorizado pelos médicos

Candidato do PSL também voltou a afirmar preocupação com urnas eletrônicas

Fábio Grellet, O Estado de S.Paulo

08 Outubro 2018 | 21h02

RIO- O candidato do PSL à presidência da República, Jair Bolsonaro, afirmou que vai viajar ao Nordeste se for autorizado pelos médicos que vão examiná-lo na próxima quarta-feira, 10, e repetiu a suspeita sobre o correto funcionamento das urnas eletrônicas durante a eleição. Ele fez essas afirmações durante entrevista ao SBT, exibida pela emissora na noite desta segunda-feira, 8.

“Temos a preocupação sim com a urna, ainda. Centenas de casos chegaram para mim de pessoas que apertavam o 1 (na urna) e já aparecia o 13, ou que votava para governador e dava (a votação) por encerrada, não podia (votar) para presidente”, afirmou Bolsonaro. “Mas, como um todo, não deixou de ser um excelente resultado”, continuou.

Sobre alianças para o segundo turno contra o petista Fernando Haddad, Bolsonaro cogitou os apoios de Álvaro Dias, do cabo Daciolo e de partidos do chamado Centrão, que apoiaram Geraldo Alckmin (PSDB) no primeiro turno.

“Se alguém quiser conversar comigo eu estou à disposição. Estou tendo sinalizações de que o Álvaro Dias poderia conversar comigo, o Daciolo. No tocante ao Centrão, grande parte dos parlamentares já estava comigo antes mesmo do começo das eleições, que vínhamos trabalhando no varejo”.

Bolsonaro também comentou os planos da campanha para o segundo turno. “Dependo de avaliação médica na próxima quarta-feira, mas (ao) voltar para as ruas não vou poder fazer o que fazia, como ser carregado nos braços”, afirmou. “ Se me liberarem para viajar de avião, viajarei sim. Pretendo viajar ao Nordeste, onde na recepção no aeroporto será avisado que não poderei me expor da maneira como vinha me expondo. Com toda certeza um carro de som se fará presente, darei meu recado, talvez uma carreata. Vamos sim buscar espaço junto à mídia local para vendermos a nossa ideia”, concluiu.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.