JOSÉ PATRÍCIO/AE
JOSÉ PATRÍCIO/AE

Bolsonaro deve anunciar general Heleno como vice nas eleições 2018

Anúncio deve ser feito nesta quarta-feira diante da dificuldade do partido em fechar uma aliança com o PR do senador Magno Malta, que estava cotado para o posto

Renan Truffi e Leonêncio Nossa, O Estado de S.Paulo

17 de julho de 2018 | 20h19

BRASÍLIA - Pré-candidato ao Senado por São Paulo, o deputado Major Olímpio (PSL-SP) disse ao Estadão/Broadcast nesta terça-feira, 17, que Jair Bolsonaro (PSL-RJ) deve anunciar o general da reserva Augusto Heleno Ribeiro Pereira (PRP-DF) como vice na chapa à Presidência da República nas eleições 2018. Segundo o parlamentar, o anúncio deve ser feito por Bolsonaro nesta quarta-feira, 18, diante da dificuldade do partido em fechar uma aliança com o PR do senador Magno Malta (ES), que estava cotado para o posto.

Além da desistência de Malta em assumir a posição, o PR tem feito exigências em relação às alianças nos palanques de São Paulo e Rio de Janeiro, que acabaram não sendo aceitas pelo PSL. "Não haverá aliança com exigências do PR de coligação nas chapas de deputados federais em São Paulo e Rio de Janeiro. Bolsonaro possivelmente anunciará amanhã o general Heleno como vice", afirmou Major Olímpio.

++ 'Não sou contra reforma trabalhista, sou contra esta reforma', diz Ciro

O general Augusto Heleno (PRP-DF) é da reserva do Exército brasileiro e comandou as tropas do País no Haiti. Ele também é um dos ex-comandantes militares da Amazônia. Bolsonaro foi cadete de Heleno quando integrava as Forças Armadas.

++ Líder do PR diz que bancada está dividida entre Lula e Bolsonaro, mas não vê contradição 

Logo que saíram declarações de que seria indicado à vice na chapa de Bolsonaro, o general da reserva Augusto Heleno Ribeiro disse à reportagem que "nada" está confirmado. Ele, no entanto, afirmou que está a postos. "Nunca pleiteei nada, não fico sem dormir por causa disso", afirmou. "Estou pronto para cumprir a missão caso seja designado, como sempre fiz na minha vida."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.