Alex Silva/Estadão
Alex Silva/Estadão

Bolsonaro defende candidatura de Datena ao Senado por São Paulo

Em conversa com apoiadores, Bolsonaro disse ver 'potencial' em apresentador e que, se não lançar um candidato competitivo, 'outra pessoa vai levar'; Datena tem histórico de anunciar pré-candidaturas, mas desistir de última hora

Iander Porcella, O Estado de S.Paulo

22 de fevereiro de 2022 | 23h27

BRASÍLIA - O presidente Jair Bolsonaro (PL) defendeu nesta terça-feira, 22, a candidatura do apresentador de TV José Luiz Datena ao Senado pelo Estado de São Paulo. Em conversa com apoiadores, Bolsonaro disse acreditar que o jornalista seria competitivo na disputa.

“Eu já conversei com o Datena. Eu sei que todo mundo tem crítica a um candidato ou outro, mas você não tem opção”, afirmou Bolsonaro, ao ser questionado por apoiadores sobre as críticas do apresentador a ele. “Você não pode procurar santo, não tem santo. Sempre temos um defeito.”

O presidente disse ver “potencial” em Datena e afirmou que, se lançar um candidato que não seja competitivo, “outra pessoa vai levar”. Bolsonaro chegou a sugerir no mês passado que a ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, Damares Alves, poderia concorrer ao Senado por SP, mas a titular da pasta prefere disputar o cargo pelo Amapá.

Atualmente sem partido, Datena tem um histórico de anunciar pré-candidaturas a cargos públicos, mas desistir de última hora. Em 2020, quando estava filiado ao MDB, quase se lançou a prefeito de São Paulo e chegou a ser considerado para a vice de Bruno Covas, do PSDB, que foi eleito e morreu de câncer no ano passado. Em 2018, no DEM, desistiu de pleitear uma vaga no Senado. Dois anos antes, filiado ao PP, também considerou uma candidatura à Prefeitura de SP.  Até 2015, Datena era filiado ao PT.

No Estado de São Paulo, o candidato a governador apoiado por Bolsonaro será o ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, que deve se filiar ao PL. Ex-apoiadores do presidente tentaram conseguir o aval dele para o pleito eleitoral em São Paulo, mas sem sucesso. Foi o caso da deputada estadual Janaína Paschoal (PSL), que pretende se candidatar ao Senado, e do ex-ministro da Educação Abraham Weintraub, que deve se lançar ao governo do Estado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.